EUROPAS PARK

Europa Lituânia


O sol entrecortado por esguias árvores anuncia um profundo mergulho na natureza. Afastamo-nos de Vilnius, aproximamo-nos do coração de um dos maiores ex-líbris culturais da Lituânia. Europas Park.
O nome engana. Delimita à Europa um projeto universal que retrata o mundo. Ou os sonhos mais invulgares dos que nele habitam.
São 34 escultores. De todos os Continentes. E são 120 as obras fruto do seu génio.
Gintaras Karosas, mentor e autor do projeto, é o nosso cicerone. A julgar pela sua simplicidade, jamais pensaríamos tratar-se de um “artista”. Um talento reconhecido à escala internacional e que só tem paralelo na humildade e simpatia com que nos guia nesta improvável viagem.
Vamos caminhando, parando, apreciando. Comentando. Um slalom à volta da criatividade internacional que pára, subitamente, na obra que mais nos seduz. São 3.000 (sim, três mil) os televisores da antiga União Soviética cuidadosamente dispostos em escultura.
“Com o fim da URSS, foram centenas as pessoas de todo o país que fizeram questão de vir cá entregar pessoalmente o seu velho televisor para esta obra de arte”, conta.
Muitas estão assinadas. Dedicatórias para todos os gostos. A alma deste povo ficará, igualmente, ligada a este simbolismo.
“Era com estas TV’s que pensavam controlar-nos a mente. Toldar-nos o espírito. Fazer mirrar o nosso orgulho e o da nação. Substimaram-nos”, vinca.
A manhã avança. As desertas estradas do parque vão trazendo bicicletas e estas visitantes animados. Cestos que indiciam pic nic´s. Preparadíssimos para banquete de cultura.
Perto do edifício dos serviços centrais, adultos monopolizam improvisado parque de diversões. Cresce vontade de os acompanhar, mas a mesa está posta. O anfitrião desculpa-se pelos afazeres. Despede-se. Agradecemos a lição. As lições.
Aves diversas tratam da melodiosa banda sonora. O cenário tem sol, natureza. Intenso odor a Primavera. Luz cristalina.
A comida baila até repousar à nossa frente. Mais uma deliciosa escultura. Agora gastronómica. A conversa flui. O apetite sacia-se suavemente. Minutos de silêncio. Apenas saborear o momento.

Estamos atrasados. E o avião não tem pinta de esperar por nós. Já no aeroporto, precavenho-me com sedutora mistura de cereais. Para prolongar um prazer cada vez mais viciante. Lituânia. Não demorarei muito a regressar….

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?