Dolores & Vuci

África Suazilândia

Liliana deu-nos o privilégio de privar com vários personagens que marcaram muito positivamente a nossa passagem pela Suazilândia. Dolores e Vuci foram duas delas.
Dolores representa na perfeição ‘Mama África’. Uma jovem idosa que decidiu apostar na recuperação e promoção da cultura gastronómica Suazi, fazendo-o numa casa fora de mão, mas que vale a pena procurar entre as verdejantes montanhas.
Durante conversa em rédeas, a mesa começou a ser inundada de iguarias de toda a espécie. Uma dengosa gastronomia que nos fez desafiar os limites da voracidade. Foi mesmo até cair para o lado…
Bom vinho sul africano tornou tudo mais fácil… Ajudou a que o ambiente ganhasse um intimismo singular, que perdurará nas nossas mentes até ao além.
Dolores sentou-se à nossa mesa (Vuci já o tinha feito, também) e acompanhou-nos no vinho e guiou-nos por conversas intemporais, imateriais. Impressionante os seus conhecimentos culturais à escala global. Até de Portugal. Fala um pouco a nossa língua, conhece vários pratos e tem um carinho pelo nosso país de fazer inveja a alguns ditos patriotas.
Vuci é manager de bandas de música. Um jovem de 36 anos que revela uma inocência e pureza únicas. Coração igualmente aberto, do tamanho do Mundo, e, mesmo parecendo inexperiente, revela conhecimentos e pensamentos surpreendentes. Principalmente para alguém que nunca saiu do reino e nem sabe muito bem como funciona a internet.
Super interessante tudo o que nos disse sobre o seu reino, as tradições de um povo que, em muitos aspetos, parece viver ainda na idade Medieval. No bom sentido, entenda-se.
Revelou-nos ao almoço que era dia do seu aniversário e levou com uns “parabéns a você” cantados na língua de Camões. Gostou. Com ar de miúdo envergonhado, agradeceu. Nós é que agradecemos tudo o que nos permitiu saber sobre si (procura já uma “boa vaca gorda” como presente aos futuros sogros para pedir a sua amada em casamento) e o seu fabuloso país.

(Viagem a África, 2009 – africatrio.blogspot.com).

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?