Tags:

HANOI AGAIN

Ásia Vietname

Ainda usufruíamos de Hanoi e já sabíamos que íamos ter saudades. Que cidade… Que cidade!! Transborda vida. Intensa. Singular. Com gente surpreendentemente animada, certamente feliz.
A noite não tira movimento ao ambiente, apenas o transforma. Menos ruido, mais luz e côr. Ambiente acolhedor. Muitos sorrisos.
Biliões de banquinhas minúsculas para comer ao ar livre. Incluindo mercados nocturnos.
Parques estão cheios. Jovens cantam de improviso. Guitarras ajudam. Subitamente, juntam-se 50 em festa. E outros tantos a ouvir. E a multidão cresce, naturalmente. 
Fazem actividades radicais. Alguns jovens praticam estilo breakdance. Miúdas também. Os mais velhos, experimentam danças mais clássicas. Ao lado, senhoras de todas as idades em exercícios de aeróbica.
Famílias e jovens casais enamorados passeiam ao longo do lago. A qualquer hora do dia, é o local preferido para noivos tirarem as fotos que vão mostrar aos convivas no dia do casamento. Em boa parte da Ásia, o dia do “sacrifício” do futuro casal é antes do dia da cerimónia. Mas estão felizes.
Sobram testemunhas. Tiram inúmeras fotos aos casais. Tão entusiasmadas quanto estes.
Caminhamos sem destino. Perdemo-nos frequentemente em lugares deliciosos. Apenas uma surpresa: somos impedidos, com modos menos simpáticos, de comer em local pejado de bem alimentados vietnamitas. Não entendemos o motivo. Não falam inglês, mas são convincentes. E a comida cheirava tão bem quanto aparentava.
Temos o mausoléu de Ho Chi Min para ver, tal como o templo da literatura. Será apenas no dia seguinte, quando partiremos logo às 09:30….

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?