Tags:

José Luís, na primeira pessoa, rumo à Costa Rica

América Central América do Sul Colômbia Costa Rica

Depois do caos, sempre consegui enviar o Rui de volta ao “trabalho”…
Fui ter com a Chela que, como era de esperar, não falhou e estava à minha espera com a simpatia de sempre. Entre conversa, ver fotos e atualizar fotos do blogue, acabei por me deitar às 02:00…
Por obra e graça do espírito santo acordo às 7:30. O despertador não iria tocar, pois, apesar de estar programado, o tlm está “sem som”… bons augúrios 😉
Pequeno almoço de iogurte de pêssego, ovos revueltos, bolachinhas com sementes e uma “granadina”.
Despeço-me de Chela, apanho o táxi. Trânsito diminuto, estou no aeroporto num instante. Que diferença da noite anterior… Nada de confusões ou filas. Ao fazer o chek-in exigem vacina da febre amarela. “Sim, claro, aqui está o certificado internacional”. Assunto arrumado.
Mais uns instantes e “dirija-se à cabine 35 para a devolução dos impostos, por ter estado menos de 30 dias no país”. Assim fiz e não tardava estava com 62.000 pesos colombianos (24 euros) na mão.
So far so good.
Sou mandado parar no primeiro controlo. Eu e outro turista no meio de 200. Sala escura, x-ray total, tudo em ordem. Num segundo controlo, montes de perguntas. Até tive de dizer que tinha uma garrafa de vinho do Porto na mala. Lá me safei…
Não sei se do pequeno-almoço ou do creme de caramelo servido no primeiro voo (Bogotá-El Salvador-Costa Rica), estou com diarreia monumental, mal-estar do estômago all the way to San José. A caminho da farmácia, saiu tudo pela boca… Estou a pão e água. Amanhã, já como novo.
Para finalizar, o bus do aeroporto para o centro de San Jose teve um acidente. Mesmo no cruzamento que dava para o meu hostel…
Estou bem. A vida espera por mim..

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?