Koala… Tzé Tzé… Zé… ZZZZZ….

Nova Zelândia Oceania

A vida tem imensos mistérios por desvendar. A ciência vai evoluindo, mas há ainda demasiadas questões sem resposta.
Estamos determinados a deixar a nossa impressão digital na história da Humanidade e, depois de muito maturar, eis que encontrámos a forma de o fazer.
Após uma década de viagens em conjunto, podemos, finalmente, garantir, com boa dose de probabilidade de êxito, que contribuímos para a resolução de um desses mistérios.
Darwin deixou-nos a Teoria da Evolução. Não quisemos ficar atrás e apresentamos a Teoria da Comparação.
O que tem de diferente um Koala, uma mosca Tzé Tzé e o Zé (Luís)? Pois… também ainda estamos a tentar descobrir. Mas… e o que os une? Aí está! Já temos uma teoria.
Todos – sem exceção – têm uma ligação irresistível ao sono. A mosca, provoca o sono nos outros. Há quem diga que até pode ser para a eternidade. O Koala dorme 20 horas por dia e nas restantes quatro pouco faz, para não gastar energias (tem uma dieta muito pobre, à base de folhas de eucalipto, pelo que até o “pensar” consome muita energia – isto é científico, não é tanga!).
Ora o nosso Zé está algures no meio. Entre as horas que dorme na cama, as que ferra o olho no banco de trás do carro e o muito pouco que faz, acreditamos piamente que em breve fará como o Koala e deixar-se-á ficar o dia todo recostado a uma árvore.
Para vê-lo “bulir”, só mesmo quando se “baba” a comer gelado (em embalagens de dois litros), quando integra a equipa que cozinha, no momento em que come (como um leão) e… procura sementes, para a sua “floresta” em Fradelos.
Encontrar esta teoria, demorou uma década. Descobrir um antídoto, pode já não ser nesta vida….

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul e na Rússia ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?