BYRON BAY

Austrália Oceania

O local já me tinha sido amplamente recomendado por mais do que uma pessoa. Era domingo, o tempo está mais do que duvidoso, mas há um mercado que não podemos falhar, garantem-nos Sofia e Paul.
Efetivamente, passámos aqui um excelente dia. O mercado é divino e o ambiente alternativo, hippie, não poderia ser mais cativante. Respira-se “boa onda” por todo o lado. E, aparentemente, drogas não entram no menu. Perfeito.
Ouvimos atuações musicais, vemos danças exóticas e convivemos com gente simples, feliz. Sem tempo.
Uma amiga australiana da Sofia e do Paul junta-se-nos com o seu português de bom nível (ainda assim, aquém do apresentado pelo Paul, que, por amor, viveu um ano em Portugal) e as saudades da terra de Camões.
“Voltei agora de dois meses lá. Engordei nove quilos”, lamentava a donzela.
Garantimos-vos, solenemente, que cada grama alegadamente a mais parecia muito bem aplicada.
Almoçámos sentados no chão, na relva, a beber sumo de cana e a contemplar novo espetáculo sedutor, a 15 metros do nosso olhar.
James Cook, que em 1770 reclamou esta terra para a coroa britânica, foi o primeiro a andar por estas paragens. Vimos algumas das coisas que registou no seu diário.
Na praia, aplicámo-nos a tirar fotos engraçadas. Coisas de teenagers…
Antes de regressarmos a casa, ainda batemos uma sorna (pelo menos foi o que fiz) num vigoroso relvado na praia com vista superior para o mar..

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?