Portuguese Settlement – MALACA

Ásia Malásia

Tivesse a retirada sido feita por outro caminho e a nossa visita à comunidade portuguesa de Malaca ficaria claramente aquém das nossas expectativas. Digo ao Zé Luís que é hora de retirar e furo por um novo caminho para o regresso à estrada principal quando uma doce, mas determinada voz feminina nos interrompe.“São portugueses?”, questiona Bárbara, com um sorriso do tamanho da sua simpatia. Imediatamente nos aproximámos, fazemos as devidas apresentações e em segundos a conversa já corre encadeada, sem fim à vista. A pressa de seguir é substituída por tranquilo almoço no restaurante do senhor Pedro (malaio, mas com raízes e alma lusitana), ao surpreendente som de cantares alentejanos. Juntamo-nos à mesa com mais três professores locais – uma das docentes fala igualmente perfeito português – e ficámos a conhecer o trabalho da Bárbara, a ASSOCIAÇÃO CULTURAL CORAÇÃO EM MALACA, da qual é grande impulsionadora. http://povos-cruzados.blogspot.com/Em minutos, parte da comunidade vai desfilando pelo restaurante. Impressionante como malaios luso-descendentes que jamais estiveram em Portugal falam a nossa língua, “vestem” os nossos costumes e sentem amor impressionante pela pátria. Um exemplo. Mais surpresos – ou talvez não – com o esquecimento, ostracismo a que esta comunidade de cerca de 1.300 elementos é vetada por Portugal. Mais uma vez, a história das autoridades que tanto esbanjam em projetos de interesse duvidoso e que nada fazem para preservar a herança desta gente, que é nossa, fiel há 500 anos, completados em 2011. .

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?