Tags:

Exporar a África desconhecida

Europa Portugal

O pó volta a adoçar o meu caminho. Regresso à estimulante e sempre imprevisível África. Ao Continente onde mais nos revelamos. Aquele que desembrulha o nosso subconsciente e encontra surpreendentes alter-egos. Não há lugar do Mundo que tanto teste os nossos limites. E que explore assim os nossos remotos extremos.
Comerei poeira em milhares de doridos quilómetros em carcomidos transportes do mais bizarro, lotado e imprevisível possível. Digestão feliz, pois é em viagem que recebo os maiores estímulos sensoriais de plenitude.
Apenas sei que chegarei ao Ruanda de peito aberto. Espero sair da Etiópia com os sentidos transbordantes de emoções. E histórias gravadas para a eternidade, rabiscadas de serena fusão com os locais e seu quotidiano.
Saudoso deste estranho masoquismo que indica caminhos de dificuldade, imprevistos, surrealidades… um outro Mundo. Um cocktail de surpresas, desafios,  alertas e (im)paciência(s)… Um menu de obstáculos que trilham e moldam o nosso crescimento.
Anseio rever estimulante vida selvagem, deliciar-me com peculiares transportes públicos, impacientar-me nas fronteiras… Espraiar-me em lagos, apreciar patrimónios da Humanidade, visitar projetos de cooperação internacional, fintar diarreias, WC’s aterradores, malária e outros mimos indesejados…
É tempo de engavetar a zona de conforto, esvaziar-me e deixar-me ir. Dar lustro ao entusiasmo e partir.
Precioso, o bilhete da liberdade. Impagável o luxo de viver errante, aberto ao que o acaso tem para nos presentear.
Que esta partilha te traga comigo. Te estimule a partir. Inspire os teus sonhos…

PS: Imploro por santíssima paciência na novidade de relatar em tablet de oito polegadas. Este novo companheiro de viagem tolhe-me ferozmente o ritmo de escrita: que não amarre a fluidez de pensamento.
PSS: Este texto ainda foi escrito em portátil….

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?