Bakale… Há festa no mercado

África Uganda

Esta é uma cidade de passagem. Ninguém vem cá só por vir. Fica a oito quilómetros do paraíso de Bunyonyi e a um par de horas do Bwindi, o parque principal para ver gorilas no Uganda. O White Horse Inn é um paraíso criado em 1937, ainda no tempo colonial. O espaço é soberbo: os bungalows, os jardins, a natureza…nada como adormecer e acordar com sinfonia de sons exóticos. Envolvente e relaxante. Os ingleses não se tratavam mal…O staff também cativa. Gente simples, humilde e bem disposta. Destaca-se claramente Pheona. Por isso a convidamos a passar o seu dia de folga connosco.Árvores apinhadas de enormes morcegos captam a nossa atenção mesmo à saída do complexo. Ruidosos. E muitos….saímos do paraíso e descemos ao caos total. Queremos visitar o mercado. Sentir o mais genuíno pulsar de cada lugar. E, na verdade, é lá que temos das melhores experiências com os locais. Afáveis, sorridentes e satisfeitos com a nossa presença. É recinto demasiado pobre para captar a atenção dos turistas. E como nos sentimos em casa…Assumo. Sou culpado. Não resisto a ‘disparar’ para todo o lado. A esmagadora maioria adora posar e mais ainda ver o retrato. Os renitentes são convencidos pela excelente reação dos amigos.”Mariquinhas, vem comigo p’Angola” é tema que temos explorado e divulgado amiúde. O Bonga está a dever-nos esta. Cantamos e encantamos. Os risos alheios transformam-se em sorrisos, os aplausos (muitos) ritmados, surgem com naturalidade e há gente disposta a dançar.  O mercado pára. Tudo vem ver. Sentimo-nos já parte da tela. Pedem-me numero de telefone e email. Sei que não terei novidades, mas muitos destes sorrisos ficarão gravados entre as melhores memórias da viagem….

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?