DESCIDA DO INFERNO

África Etiópia

Os santos voltaram-me as costas. Dizem que, a descer, todos ajudam. Não é o caso. Serão quatro horas. Primeiro, para manter o grupo unido. Depois, cada um ao seu ritmo. Calor fustiga-nos e bebo mais água do que nunca. Mas nem por isso urino. Sai tudo em transpiração. Estesol esmaga como nenhum. Se há pacto com o diabo, estou perante os seus efeitos. Um polícia Afar marca o meu ritmo. Descontraído. Com ambos os braços apoiados na kalashnikov. Como, se esta fosse vara de pastor. Não fala inglês. Apenas sorri. Finalmente, acampamento à vista. Os meus pecados perto da salvação. Alguma sombra permite descansar um pouco. Esperaremos uma hora pelos mais atrasados. Teremos mais cinco pela frente, em jipe nos piores trilhos até ao momento. A aventura completa salda-se por apenas um furo. No meio de nada e sob sol vulcânico. Almoçaremos em pé, no meio de desértica paisagem, embora na sombra de duas solitárias árvores. Há camelos a vaguear no meio do nada. E burros também. As cabras não se aventuram por tão longe. Encontramos crianças onde menos esperamos. Pedem líquidos. Algumas 1 birr (um euro = 26 birr).Hamadella novamente no horizonte. A torre de telecomunicações não engana.Desta vez mudamos a estadia. A aldeia está cheia. Reservado um espaço sem proteção nas paredes, que deixam passar todo o muito vento desta noite. Arrumamos dois jipes de forma a tapar o vento. Resulta apenas para o Denies. Arrasto a minha cama para a porta da cozinha. Há menos vento. O céu continua por minha conta. É a ultima noite ao relento. Boa música para a saborear. O Danakil exerce estranha atração. No dia seguinte há cinco visitas ‘naturais’ antes de voltarmos a Mekele..

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul e na Rússia ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?