Portuguese Bridge

África Etiópia

O desejo Europeu de formar aliança com o lendário Preste João – o tal líder católico que falava em terras de riqueza inimaginável, em que todos tinham ouro e pedras preciosas em abundância: o seu reino foi objeto de uma busca que instigou a imaginação de gerações de aventureiros, mas que sempre permaneceu fora de seu alcance – levou os portugueses a estabelecer relações com a Etiópia.
De 1520 a 1526 registou-se a primeira missão diplomática, de 1541 a 1543 a cooperação foi militar, ajudando o novo amigo a combater a influência dos muçulmanos turcos, que ameaçavam as rotas lusas para oriente (havia ainda a questão do controlo sobre o Mar Vermelho e Oceano Índico), e de 1557 a 1632 tratou-se de uma ‘cooperação’ religiosa.
Em Debre Libanos existe essa mítica ponte portuguesa, a qual dizem foi construída e defendida por um filho de Vasco da Gama, que terá perecido no local.
Hoje em dia, já não tem qualquer uso. O acesso à mesma exige uma pequena caminhada, cruzá-la custa dois euros (fora do horário de trabalho do senhor ou com um pequeno desvio é grátis) e o melhor de a atravessar é a probabilidade de encontrar os endémicos babuínos gelada do outro lado, como nos aconteceu.
Há ainda umas frondosas quedas de água na região, com 600 metros, melhor apreciadas na altura das chuvas (julho/setembro)..

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?