Harém… e as 1.200 concubinas de Murat

Médio Oriente Turquia

Não quero deixar Topkapi sem apreciar o seu harém. É uma parte independente, pelo que exige outro bilhete (por cerca de 28 euros, o visitante tem acesso a ingresso que em 72 horas permite explorar todos os fantásticos monumentos de Istambul).
Por ignorância – não poderá ser por desinteresse – esta ala revela-se pouco conhecida ao turista. Enquanto no resto do palácio é praticamente impossível conseguir uma nesga a solo, aqui esse problema não se coloca.
O Harém era a parte da vida familiar do sultão onde, juntamente com as suas quatro esposas oficiais, com crianças, vivia também um considerável número de concubinas. Mulheres belas e inteligentes trazidas de todo o império.  
O sultão Murat III era moçoilo comedido: tinha apenas umas 1.200 mulheres no Harém. Mais do que vida santa, estas tinham um dia a dia extremamente competitivo. O sonho era serem eleitas como a “favorita”. Reinava a ilusão de dar ao sultão um filho, que seria o próximo candidato ao trono. Com tanta ambição, era uma rede de intrigas, boatos. Eram habitualmente controladas pela poderosa mãe do sultão. Este, tranquilo. Os eunucos não eram ameaça ao seu bem-estar.
Decido explorar os meandros deste Harém. Encontro prazenteiros pátios, aconchegantes piscinas, banhos turcos guardadores de ousados segredos, insinuantes corredores decorados a ornamentados azulejos, esplêndidas salas…
Confirmo: a vida privada do sultão era uma inspiração….

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?