Tags:

Asia again??

Médio Oriente Turquia

Nos últimos minutos de voo, percebemos o quanto Istambul se está a espalhar, também na parte asiática. Novos empreendimentos em série. Sempre com uma mesquita por perto. Sabiha Gokcen é aeroporto cada vez mais cobiçado. É daqui a ligação preferencial ao Medio Oriente.
Desta vez ficaremos em Sultanahmet, pelo que ainda longa jornada pela frente. Começamos por apanhar o autocarro que nos deixa em Kadikoy em menos de uma hora. Segue-se o “cruzeiro” no Mar de Marmara. Que antecede um reforço de energias: Balik Emkek. Saudades da minha sandwish de peixe…
Prontos então para uma caminhada por ruas nunca antes exploradas, seguindo exímio sentido de orientação. Curiosa a popularidade do Viagra nestas paragens. Sobra publicidade. Livres de profunda crise económica, assertiva repressão do Islão e com tanta turca bela e exótica, nunca pensei que a “magia azul” andasse por estas bandas de forma tao ostensiva.
Estamos a parcos metros da Mesquita Azul e do Haghia Sophia. O que ganhamos em excelência de localização, perderemos na tranquilidade. O que importa numa última noite que até promete ser mal dormida?
Perto, temos um marco que indica as distâncias para vários pontos do globo antigo. Constantinopla já foi centro do Mundo – em muitas formas, para mim, continua a ser – e daqui partem muitas ilusões. A minha ficou gravada a 5.118 quilómetros. Bishkek. Em português, Bisqueque. Ajudou? Soa familiar? Nem por isso? Bem me pareceu. Quirgistão… é esse o sonho num horizonte pronto para chegar.
Detemo-nos na Soguk Çesme. Esta ingreme pedonal tem charme e carisma. E nada como saborear um chá enquanto vemos a vida passar. E ela vai e vem. Revela-se nas mais surpreendentes formas. É bom este serenar. Fazer uma “pausa” no tempo e saborear momentos com inusitada intensidade.
Caminharemos até ao mar. Sim, hoje mesmo regressamos à Ásia. Somente para o nosso último jantar. Com pessoas especiais: Elif e Alejandro..

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?