Entusiasmante Sangue Derramado

Europa Rússia

A Catedral do Sangue Derramado ou Igreja da Ressurreição do Salvador sobre o Sangue Derramado é “A” Igreja de S. Petersburgo. Um dos mais belos exemplares ortodoxos do planeta. Erigida no local onde o Czar Alexandre II foi assassinado, em 1881. As obras começaram dois anos depois, num projeto a meias entre o arquiteto Alfred Parland e o Arquimandrita Ignati. Foram 24 anos de construção.
Chegou a estar abandonada, nomeadamente após a II Guerra Mundial quando foi bombardeada. Um artefacto ficou por explodir junto à sua cúpula. Anónimo durante 19 anos.
Após 27 anos de restauro, abriu como museu estatal e desde então que é um dos locais mais concorridos por quem visita S. Petersburgo.
Este elemento distintivo de arquitetura foi a primeira escolha de visita em solo russo. E bem que o merece.
Cinco cúpulas revestidas a cobre e esmalte de diferentes cores num monumento em tijolo vermelho e castanho. Pilares graníticos, pedras preciosas e decorativas dos montes Urais ajudaram a construir 45 mosaicos que não se repetem e tiveram, também, o “dedo” italiano. São mais de7.000 metros quadradosde mosaicos e ícones, criados por 32 artistas.
Aprecia-la de fora é um estímulo tal que nos impede de resistir a entrar. Cinco euros merecidos. Justificados. E, no fim, sempre podemos voltar a apreciá-la de fora. Junto a algum dos vários artistas – habitualmente, músicos – que dão um colorido muito especial ao lugar, mesmo ao lado de um canal. Provavelmente, o monumento mais fotografado da cidade.
Em termos de curiosidade religiosa – sim, deambulo entre o agnóstico e o ateu – sei que dificilmente encontrarei algo mais entusiasmante. Mas a cidade tem muito, muito mais para explorar. Continuamos?.

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?