Upssss.. APANHARAM-ME!!

Egito Médio Oriente

Desperto a ser… lambido. Bom, na verdade, foi pouco depois de me levantar. Mas ainda não estava desperto. Um gato. O mais doce que encontrei na vida. Parece que somos inseparáveis há toda uma longa existência… e que não nos víamos há fartos séculos. Cumplicidade que me deixa atónito.
Sento-me na soleira das escadas viradas para as palmeiras e mar à minha frente. Belo sol matinal. A combinação perfeita com o azul-turquesa. E com este carinho XXXL penso que não há melhor forma de começar o dia.
Na verdade, até pode haver. Estamos reunidos para pequeno-almoço. Na esplanada. Piscina ao lado. O mar logo a seguir. Mais palmeiras. E todo um hotel de charme. E com charme. Quando penso que chega de abusos gastronómicos e desafio os sobreviventes para atacar o dia, eis que sou surpreendido. Um… bolo?!?! Ups… apanharam-me!!
Ana, Patricia e Gonçalo com sorriso cúmplice. “Pensavas que nos íamos esquecer, não??”, atiram. Pois… parece-me que os quatros se encontram (44). Número giro, embora prefira os ímpares. Não vejo a hora de chegarem os 45… 47…
Os parabéns são cantados na língua de Camões. E, evidentemente, fico sem jeito. Valem-me os singulares óculos de festa para ocultar as emoções que tento reter. Ou ainda me chamam lamechas…
O dia seria de merecido descanso. Uma praia “paradisíaca” a um par de minutos de barco. Refastelamo-nos ao sol e depois mergulhamos na “sopa”. Sim, a água – cristalina, diga-se – tem temperatura fantástica. E não apetece sair…
Divertimo-nos de todas as maneiras que se possam imaginar e abandonamo-nos ao ócio. Depois, marcaríamos o desejado programa (ainda secreto) do dia seguinte. E o jantar seria o melhor de toda a viagem. O paladar agradece. E nos também.
Os óculos “especiais” voltam à cena, ainda na esplanada do restaurante. Provocamos olhares e sorrisos. E mais olhares. E ainda mais sorrisos. E é nesse ambiente de festa que caminhamos 50 metros até ao bar mais animado. Nova esplanada. Mais sumos naturais (o de guava que bom que estava…) e umas minigarrafas de vinho do Porto, que a Ana teve o condão de trazer de Portugal. Com amigos assim… Daí o nosso “olhar” ter mudado do dia para a noite…
O resto… Bom, o resto são sentimentos e emoções que têm mais intensidade quanto menos partilhados forem. Apenas que sou grato por ter (alguns novos) Amigos que tornaram especial um dia ao qual não dou a devida importância….

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?