Partir… de novo

Europa Portugal

Estou a dias de voltar à “estrada”. A rotina da partida tira-me o “friozinho” de entusiasmo que o estomago agradece. Porém, mal esteja no ar, desligo o botão “terra” e entro, de corpo e mente, num Mundo de descoberta. Sem limites.
A próxima ilusão tem dois amores: um há muito assumido… e outro apenas perspetivado. Conheço parte da estimulante província do Yunnan, China, com destaque para a apaixonante Lijiang, porem ainda não tive a oportunidade de me enamorar por Dali e, sobretudo, por Shangri-La (“Paraíso”, na tradução à letra), a entrada para o planalto do Tibete.
Quanto à Birmânia/Myanmar… é a hora ideal de me aventurar por um dos mais estimulantes países do globo antes que o Lonely Planet lhe dê o merecido destaque: diz-se que será já em 2016…
Estes últimos dias têm sido tão intensos – trabalho, família, projeto social www.povoportuense.pt , amigos, programar as próximas viagens… – que preciso de longo expirar… antes de encher de novo o peito e sorrir para os lugares que me vão maravilhar.
Como aconteceu em 2014 na Geórgia, Arménia, Nagorno-Karabakh e Egito, agora também levarei companhia. Terei a responsabilidade de ajudar a proporcionar uma experiência de vida singular, uma viagem marcante a quem me acompanha neste duplo desafio. Será, certamente, uma forma diferente de ver e viver o planeta. Para todos. Também anseio aprender.
Ansiedade pelo reencontro com a dócil “Patrícia”… mas deixarei esta história chinesa para depois. Prometo ir contando tudo aqui. O que só faz sentido se estiveres aí… Até já, então..

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?