Tags:

YANGON/RANGON

Ásia Birmânia

Esta é a maior cidade da Birmânia e, até muito recentemente, a sua capital. Decompondo a palavra Yangon, temos “fugir dos inimigos” ou “fim de conflito”. Daria muito para contar…
Por ter sido jugo britânico, sobram-lhe traços coloniais, embora a cidade de uns cinco milhões de habitantes mais pareça uma amálgama birmanesa, britânica, chinesa e indiana. Sobra, por isso, exotismo à menos desenvolvida das grandes metrópoles do sudoeste asiático.
Yangon – assumiu o nome em 1989, por desígnio da junta militar, substituindo a vigente Rangon – tem história de um milénio e começou como pequena aldeia piscatória.
Em 1941, um grande incendio destruiu a cidade. Nem por isso a simpatia dos locais. Como budistas, os birmaneses são gentis. E sao inseparáveis do seu “Longyi”. Não, não é saia….

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?