Warm Up em Lisboa

Europa Portugal

“É só para dizer que não se preocupem com o lanche, pois fiz umas ‘sandochas’ para levar”, diz-me o Rui, justificando o breve telefonema. O aviso chega ao Cristóvão e ao Pedro com a mesma celeridade. Estou a terminar de fazer a mochila e a um par de horas do comboio rápido para Lisboa.
Pedro e Cristóvão já me esperam em Campanhã. Tal como o intercidades. Arrancamos de imediato e já sonhamos com o lanche que o Rui prometeu, quando se juntar a nós, em Espinho.
Ainda não chegamos a Ovar e já devoramos a primeira sandwish. Até que o Rui nos surpreende com… costelinhas!! Hummm.. pitéu improvável e que ‘voa’ ao ritmo de feroz voracidade.
“Esta ideia da CP oferecer costelinhas em viagem é excelente”, solto. A ver quem cai na esparrela. Os que entraram em Ovar, franzem o olho. Será mesmo?? Quem há muito se queria juntar ao nosso banquete, sorri. O repasto é rematado com bolo de chocolate. Assim vale a pena, Rui!!
A gare do Oriente curva-se à nossa entusiasta passagem, com o relógio a bater as 20:00. A minha boa amiga Fernanda espera-nos. A minha anfitriã vem jantar connosco. LuzBoa. Excelente opção, Ana. Ponto para ti. Para nós. Estamos sete. Quatro seguiremos para os Açores. Fernanda e Rodrigo são anfitriões por esta noite e juntam-se ao grupo. Silvia vem matar saudades e acertar detalhes para a viagem Bornfreee ao Irão, em outubro.
Soamos todos a amigos de longa data. Partilham-se sorrisos e caricatas histórias em viagem. Ao ritmo de polvo em batata doce. E de alheira de caça em cama de grelos. Arroz de polvo. Secretos de porco preto. Um puré com frutos do mar… Os vinhos, alentejanos. Dispenso-me recordar as sobremesas. Escrever este parágrafo está a ser uma tortura. Estou a sobrevoar o Atlântico. E o pequeno-almoço foi lá atrás…
Todos ainda com afazeres e o relógio arrasta-se perigosamente para a meia-noite quando dispersamos. Ainda vou ver a Filipa, que faz anos. O sorriso, charme e beleza habituais. Está feliz. E eu também. Jantarinho no Porto, na próxima semana. Acordado.
Agora é mesmo melhor dormir. Os próximos dias vão exigir a maior das frescuras.
 
Horas depois…
 
“É melhor pensarmos em ir. São 09:20”, diz-me Fernanda. Com a maior das despreocupações e serenidades. Combinei com o grupo no aeroporto às… 09:00. Despertador não chega a tocar e pensava que ainda nem 08:00 seriam. Ligo telemóvel e já sobram chamadas perdidas. Raiossss!! Retribuo. A preocupação chega em doses desnecessárias quando a segunda circular está empatada…
Sem romancear detalhes, irrelevantes nesta altura, surjo mesmo em cima do gongo. Aprecio a gentileza de terem esperado por mim para atribuir porta de embarque. Revejo a querida Carla, cumprimento a saudosa Raquel e conheço a ‘soalheira’ Sónia. Estamos os oito. E sobra-me o entusiasmo da certeza de dias insanamente felizes….

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?