Esta Lagoa é… FOGO!

Europa Portugal

Carrinho nas mãos é outra coisa. E é essa liberdade que nos leva direitinhos à Lagoa do Fogo, uma idílica reserva natural bem no coração da ilha. Mais de 1.300 hectares de zona especial de conservação pela qual o olhar se embebeda.
Abraçada por densa e exuberante vegetação endémica (cedro-do-mato, louro, sanguinho, malfurada, urze e trovisco-macho), que há 500 anos não é abalada por qualquer erupção do vulcão que lhe deu existência. 
A lagoa está a 575 metros de altitude, mas nós contemplamo-la bem lá em cima, perto dos 1.000 metros. Na proa da montanha, onde a vista é simplesmente deslumbrante. Refastelados na tribuna do melhor dos filmes.
O pombo-torcaz-dos-Açores, o milhafre, o alvéola-cinzenta, o melro-preto, gaivotas e o garajau-comum são algumas das aves que podemos avistar. Por momentos, imagino-me na sua pele. Se percebem o privilégio do seu habitat. Terão, igualmente, a noção do conceito da beleza? Da estética?
A máquina fotográfica vai disparando sem contenção para os dois lados da ilha, já que do lado oposto da estrada a vista é igualmente soberta. Verde que se espraia até ao intenso azul do mar, salpicado pela bela Ponta Delgada.
O vento acabará por trazer as primeiras nuvens. E leva-nos a prosseguir caminho, encosta abaixo, em direção à cratera. Aproveitamos os vários miradouros para fixarmos definitivamente a Lagoa do Fogo aos lugares mais luxuriantes de uma qualquer viagem. Choviscos abençoam esta experiência…
Deixo este lugar com a certeza de que voltarei, para me deliciar em caminhada em torno da cratera. Quem diz que S. Miguel se vê em três dias, certamente nunca o saboreou. E quero tempo para o fazer, dengosamente..

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?