Tags:

Hummm… La Lechuza

América do Sul Argentina

La Lechuza. Em português, A Coruja. Entro para trocar dinheiro (por estes dias, há um câmbio oficial no banco e outro nas ruas argentinas, bem mais favorável ao Europeu, pelo que ‘ainda’ é aconselhável levar muitos euros para trocar) e o meu odor logo é amarrado. Bem que tento não olhar para o lado… demasiado tarde. Estou acorrentado. Preso. Soa a conspiração…
Enquanto tento trocar bons euros – ali mesmo, na caixa ao lado do ‘apetitoso’ forno a lenha – vou perdendo as forças de resistir. A vontade de renegar as evidências vai soçobrando até que…
Horas depois, estamos a experienciar oLa Lechuza. Ecomo a opção é acertada! O ambiente é extremamente acolhedor, com decoração familiar que remonta aos auspícios de há meio século atrás. Há sorrisos e bom vinho (na Argentina parece impossível encontrar ‘mau’ néctar) em todas as mesas. E os funcionários são expeditos e extremamente simpáticos.
Hoje é tempo de dar pausa à carninha (mesmo sendo TODO peixe, não posso deixar de reconhecer as irresistíveis ‘virtudes’ dos bifes de ‘lomo’ e de ‘chorizo’, que o La Lechuza também serve), até para retemperar os apetites carnais, dando primazia a comida italiana, neste caso amplas e irresistíveis pizzas, trajadas a tentação gourmet.
E não são umas (tradicionais) pizzas quaisquer. Todos os condimentos, sem exceção, com sabor autêntico e com combinações felizes. As várias opções de tamanho familiar que saem fumegantes do forno a lenha são bem acertadas, pelo que nada nos falta: ambiente sublime, comida e bebida ao nível das mais assertivas exigências, muita gente feliz em adequado moral de férias numa das regiões mais belas e desejadas do Mundo. Celebremos, então..

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?