Tags:

Los Cóndores y Las Águilas

América do Sul Argentina

Nestes terrenos, não convém entrar a ‘matar’. Há que saborear o momento. E, por isso mesmo, aferir primeiro da condição física de cada elemento do grupo. É assim que a nossa primeira caminhada não nos afasta mais de uma hora de El Chalten. Optamos pelo mais fácil e bastante recompensador, procurar dois miradouros com panorâmicas bem distintas.
Este é o desafio mais próximo do povoado e que tem vista privilegiada para El Chalten, mas também para os maciços Fitz Roy, Torre e Adela, bem como do vale do rio De las Vueltas. E há mais um lugar onde se avista a longe estepe até ao grande lago Viedma…
O desnível não é muito – e está concentrado quase todo no início – e não passará os 100 e poucos metros. Tudo começa nos escritórios do Parque Nacional, pelo que não há que enganar. Edifício esse que convém visitar, para entendermos muito do que vamos encontrar. Em fauna e flora.
Como o nome indica, há um lugar para observar os condores. A sua altiva trajetória em torno do vale do rio Fitz Roy. Estamos na vertente na qual se avista El Chalten. E os imponentes picos de granito e glaciares que dominam o horizonte.
O caminho para o miradouro Las Águilas é estimulante e termina em balcão privilegiado sobre a estepe e mais paisagens onde não cabe toda a nossa imaginação.
É tempo de parar. De ouvir boa musica em mp3. Serenar. Apreciar. E perceber que pisamos uma zona muito, muito especial do planeta.
El Chalten começa a cumprir com o que prometia. E mal sabíamos o que nos esperava na caminhada seguinte…
.

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?