Tags:

O lendário ‘Viejo’ Tortoni

América do Sul Argentina

Lugar ímpar de difusão cultural que se tornou um ponto de referência turístico da cidade. Um exemplo entre os bares ‘notáveis’ de Buenos Aires, uma lenda que conserva a decoração primitiva, que remonta a 1858.
Entre outros, já por cá passou Carlos Gardel, o ‘señor tango’. Não só cantava no Tortoni, como era cliente regular. Dizem que tinha lugar fixo, num recanto onde podia estar com amigos e ‘protegido’ dos seus inúmeros admiradores.
Atualmente, a cave é cenário de artistas de tango e jazz, neste caso com espetáculos todos os sábados, tradição com quase 40 anos. Aqui se apresentam livros e concursos de poesia.
Tem biblioteca e mesas de bilhar. Salas para jogar dominó e dados. E foi palco de inúmeros programas de radio em direto, com a presença de público.
No 825 da Avenida de Maio já funcionou também a maior associação literária de Buenos Aires.
O ambiente é seleto. Distinto. É um lugar para apreciar. Para nos perdermos no tempo e com tempo. Saborear com a sensibilidade de cada um dos sentidos. Não é difícil imaginar as tertúlias, serões intermináveis entre notáveis artistas argentinos…
Um lugar OBRIGATÓRIO numa visita a Buenos Aires e que ficou imortalizado no tango ‘Viejo Tortoni’:“Se me hace que el palco llovizna recuerdos,que allá en la avenida se asoman, tal vez,bohemios de antaño y que están volviendoquellos baluartes del viejo café.Tortoni de ahora te habita aquel tiempo.Historia que vive en tu muda pared.Y un eco cercano de voces que fueron,se acoda en las mesas, cordial habitué…”.

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?