Tags:

Memorável Tango Porteño

América do Sul Argentina

Recuar longas décadas no tempo e recuperar o charme e elegância do auge do tango é uma excelente forma de nos despedirmos (ou dizermos ‘olá’) de Buenos Aires. É assim que, em jeito nostálgico, nos decidimos por um espetáculo em lugar histórico e com uma produção ao nível da Broadway: o Tango Porteño.
O edifício, bem perto do central Obelisco, é vistoso. Já albergou o cinema da Metro Goldwyn Mayer. A decoração é simples, mas elegante e harmoniosa, o perfeito complemento a um espetáculo pleno de exuberante sensualidade e que se destaca pelo desempenho enamorado dos artistas. A apaixonada interpretação tem sido amplamente elogiada e bastante referenciada nos Media e portais online.
Ao todo, são 32 talentos em cena: são nove pares profissionais a dançar e três cantores (duas das três vozes são femininas), complementados por 11 músicos de orquestra ao vivo, instalados na parte superior do cenário.
Na prática, o show do Tango Porteño revive os gloriosos anos de1940, asua fascinante Era de Ouro, numa refinada atmosfera que combina na perfeição com um experiente e entusiasta elenco artístico, bem ao jeito do país. Todos os detalhes são cuidados – inclusivamente a indumentária – para nos transportar a uma outra época.
Uma viagem musical e teatral no tempo que percorre vários temas e cenários que nos fazem mergulhar, como que teletransportados, na década que mudou culturalmente a Argentina. Invariavelmente, é apimentada por uma história de amor…
A essência de um período áureo recuperado num ambiente de ilusão que fica cristalizado nas nossas mentes. Inesquecível.
Estamos próximos do palco. Toda a nossa atenção e energia focados num assombro que tornará memorável a nossa despedida de Buenos Aires. Com a certeza (minha) de que não há duas sem três. E que esta noite é apenas mais um entre os inúmeros motivos que me farão voltar… .

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul e na Rússia ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?