S. VALENTIM – 20 ‘LOUCAS’ SUGESTÕES

Sem categoria

Acreditas que o S. Valentim é o ‘cupido’ que tudo ‘incendeia’? Ou és dos que pensa que é no Dia dos Namorados que mostras o que verdadeiramente sentes?

Espero que nem um, nem outro. Há demasiado tempo que não celebro este dia que muitos entendem ser especial. Confesso que não o entendo muito bem: parece-me que o S. Valentim deveria ser igual ao Santa Claus (Pai Natal), ou seja, um ideal para praticar TODOS os dias. Santos ou não. Caso contrário, que relação resiste? Ainda assim, para quem acredita que este dia é mesmo singular entre os especiais, há um conjunto de cidades, aldeias, lugares, paisagens que me atrevo a garantir-te que este dia – e todos os outros – seria magicamente celebrado.

Longe da tortura comercial em que se transformou a data que devia celebrar a simplicidade do Amor. Deixo-te 20 sugestões para os que privilegiam a cidade, para os amantes do rústico, para os que idolatram a natureza, para os mais ousados, para os de espírito ‘hippie’ e para os ultra-radicais.

 

PARA QUEM AMA A CIDADE….

– CARTAGENA DAS ÍNDIAS (Colômbia)

A Colômbia é um lugar mágico e é doloroso ter de escolher entre Cartagena das Índias e o idílico Parque Nacional de Tayrona. Preferencialmente, visitem ambos. Escolho Cartagena por ser Património Mundial UNESCO. A cidade fortificada é, simplesmente, um dos lugares mais fantásticos deste planeta. A arquitetura colonial, o intenso pôr-do-sol que transforma as cores das seculares casas, as pessoas e a vida quotidiana que inspiraram Gabriel Garcia Márquez.

– ESFAHAN (Irão)

A mais sensual das cidades do surpreendente Irão é um lugar imperdível nesta conturbada zona do planeta (o país é seguro). A “metade do Mundo” é o melhor exemplo da cultura persa, numa harmonia perfeita entre a herança histórica de cultura milenar e a pujança de um país que em breve será uma nova meca do turismo. As míticas pontes sobre o rio Zayandeh são um dos spots mais indicados para celebrar a paixão, em percurso obrigatório ao longo das suas margens. Sobretudo em dia de S. Valentim, obrigatório um jantar romântico no Hotel Abasi, um antigo caravançarai transformado em hotel de luxo.

– TALIN (Estónia)

A cidade amuralhada da capital da Estónia é dos mais fiéis e mais bem preservadas heranças da época medieval. Calcorrear as suas ruas é como voltar vários séculos atrás no tempo. Nesta altura, a neve deve cobrir toda a cidade, dando um encanto ainda mais especial a uma das mais belas cidades do planeta. E nada como dormir juntinho com temperaturas negativas lá fora. Olde Hansa é um restaurante medieval que não se esquece, em ambiente rústico à luz das velas…

– CIDADE DO CABO (África do Sul)

Certamente a mais ‘limpa’ e uma das mais cativantes cidades de África, pouco se assemelhando às outras metrópoles do Continente. Um lugar para celebrar todas as paixões da vida. Fazer juras de amor na imponente Table Mountain, com uma vista assombrosa sobre a cidade e o mar parece-me uma forma fantástica de tornar memorável o dia de S. Valentim. Tal como um jantar com música ao vivo no Mama Africa.

 – ISTAMBUL (Turquia)

Talvez a minha cidade favorita no planeta, pelo que dá para todo o tipo de ‘listas’ de preferências. A união entre a Europa e a Ásia é um desafio à plenitude dos sentidos, pelo que o Amor pode ser aqui celebrado ao sabor das especiarias que polvilham o ambiente. Andar de mão dada pelos bazares e deambular sem rumo pela imensa e cativante zona histórica fazem parte dos preliminares. Cruzar o Bósforo ao por do sol é um excelente aperitivo para um jantar num dos inúmeros restaurantes capazes de tornar a noite única.

– CUSCO (Peru)

O Peru é um tesouro e esta cidade a sua principal jóia. Mergulhar no tempo, explorando as culturas Incas  e a colonial espanhola podem constituir um estimulo viciante para o nosso espírito. Sentar-se na Plaza de Armas e apreciar a vida desfilar ante o nosso olhar é uma boa forma de perceber o privilégio de passar este dia num lugar assim. O Vale Sagrado promete unir eternamente os genuínos sentimentos humanos.

PARA QUEM AMA O RÚSTICO…

– LIJIANG (China)

A milenar China é um dos países mais incríveis do planeta e Lijiang um dos seus lugares mais belos, apesar de agora ser muito turístico. Ainda assim, sobressai a sua arquitetura milenar, os odores da riquíssima gastronomia do Yunnan, as imensas lojas com artesanato. Explorar a cultura Naxi, com origens que remontam às rotas do chá e da seda. Passear ao fim do dia no parque Dragon Pool e jantar num dos restaurantes junto a um dos múltiplos cursos de água que cruzam a cidade velha são ‘presentes’ obrigatórios neste S. Valentim.

– ILHA DE MOÇAMBIQUE (Moçambique)

A primeira capital portuguesa em Moçambique é um dos tesouros mais bem guardados do universo. Uns  700 metros de comprimento e cerca de metade de largura albergam influências portuguesas, árabes, indicas… Lentamente, vai despertando da letargia e abandono. É, em si, pura poesia. Um filme épico. Um Mundo de cor. De intensidade. Enfeitiça a qualquer hora do dia. Sempre a ritmo câmara lenta…

– SUZDAL (Rússia)

A jóia do ‘Anel Dourado’ que celebra as históricas cidades russas. Uma aldeia imperdível a poucas horas de Moscovo. Um Mundo ortodoxo expresso em dezenas de igrejas e templos em que, cada um, vale, por si só, uma visita a este lugar perdido no tempo. Lugarejo guardião de mil anos de contos e lendas de um verdadeiro museu ao ar livre, no mais encantadoramente rústico dos ambientes. Se Czares viveram por cá grandes paixões, porque não podemos fazer o mesmo?

PARA OS AMANTES DA NATUREZA…

– SIQUIJOR (Filipinas)

O país tem milhares de ilhas (mais de 7.000) que podem ser ideais para o dia de S. Valentim. Esta não é a mais bonita, certamente, mas não é tão turística como as mais famosas e tem tudo: natureza luxuriante e praias com os requisitos adequados para os mais exigentes. Tem história, mercados, gente infinitamente simpática. E várias cativantes cachoeiras para privados momentos a dois…

– MILFORD SOUND (Nova Zelândia)

Os mais ousados têm natureza de sobra para explorar na Nova Zelândia. Há vulcões, glaciares e fiordes. E há Milford Sound. Caminhadas neste lugar remoto ou despertar o dia rompendo as águas em caiaque rumo ao Mar da Tasmânia sob imponentes picos é sensação fabulosa. Que focas e pinguins testemunham mesmo ao nosso lado. Aqui, tudo é selvática e hipnotizantemente bruto, puro, empírico. Rocha, natureza frondosa e cascatas mil. Um esmagador assombro. O mais natural dos amores…

– LAGO INLE (Birmânia)

Num dos mais incríveis, belos e amáveis países do planeta, o misterioso e exótico lago Inle. Aqui brotam lendas e inspiração sem fim para dias de pura ilusão. Minorias étnicas que dão vida e cor a aldeias e mercados que repousam nas águas do tranquilo plano de água. Os Intha, ‘filhos do lago’, destacam-se pela sua habilidade na pesca, remando eretos e com um só pé. Caminhando, de bicicleta ou de barco, qualquer casal tem aqui épico cenário para jornada de paixão.

– MARGARET RIVER (Austrália)

Vinho, gastronomia e mar. Esta é uma das mais famosas regiões vinícolas e gastronómicas dos antípodas. Ideal para terminar um dia de surf, snorkling ou caminhadas em natureza serenamente deslumbrante. Aqui respira-se tranquilidade e qualidade de vida. Se o espírito de aventura prevalecer, caminhe pelas antigas florestas e explore várias das cavernas da região.

– UBUD (Indonésia)

Mais do que as praias, o maior encanto de Bali – para mim, claro – está neste interior da ilha, a sua verdadeira capital cultural. Natureza e arquitetura singular, com destaque para os seus múltiplos templos. Depois de se divertir com os macacos à solta, de apreciar galerias de arte ou assistir a espetáculos de dança, aproveitar a sapiência local para a arte da massagem. A dois. Sobram opções para um jantar que perdure a magia deste dia…

PARA OS ‘HIPPIES’…

– CABO POLÓNIO (Uruguai)

Não tem luz elétrica. Água canalizada passa-lhe ao lado. Estradas asfaltadas? Nada que se assemelhe. Banco/caixa multibanco? ‘Népias’. Internet? Deixa para lá. Luxos? Poisssss… Aqui, no lugar mais inóspito do Uruguai, não vais MESMO sentir falta de nada disso. Um dos ‘spots’ mais especiais do planeta e que ajudam o Uruguai a estar cada vez mais no mapa das conceituadas publicações internacionais. O espírito livre de quem por cá passa coexiste em plena harmonia com os lobos-marinhos e restante vida selvagem. Os improvisados e hospitaleiros hosteis, bares e restaurantes vão fazer-te sentir em casa.

PARA OS RADICAIS…

– NGORONGORO (Tanzânia)

Verdadeira arca de Noé, uma cratera de antigo vulcão que alberga os ‘big five’ de África, em perfeita comunhão com a tribo Masai. Abriga milhares de animais selvagens. Foi até chamada de “a oitava maravilha do mundo” por alguns naturalistas. Explorar a natureza e ouvir os seus sons, jantar à luz de vela em campismo (ou lodge) é experiência memorável…

– SEMUC CHAMPEY (Guatemala)

Um éden na Terra num dos países mais fascinantes da centena que já tive o privilégio de conhecer. Longe das multidões, os aventureiros encontram, entre épicas montanhas, uma cascata de lagoas azul-turquesa. É o Rio Cahabón que mergulha nas rochas, em fúria desaparece da nossa vista, e à tona fica… o paraíso. Com peixinhos a beijar-nos os pés. Boiamos. Apenas o som difuso de pássaros. O sol esgueira-se entre a folhagem. Flashes de luz que não chegam a ‘cegar’. Apenas a acariciar-nos o rosto. Tudo é fresco. Vivo. Sereno e poderoso. Um local de eleição. Com espaço para a desejada privacidade.

– SAN PEDRO DE ATACAMA (Chile)

No meio do deserto, um oásis para os aventureiros. Empoeirado lugarejo térreo com deliciosos restaurantes e negócios ‘campesinos’. O dia pode decorrer entre os vales da Lua e da Morte, uma incursão ao deserto de sal ou lagoas coloridas, ou a apreciar do bailado dos flamingos cor-de-rosa. A noite, espraia-se num qualquer lugar de atmosfera envolvente e sob um céu de infinitas estrelas…

– LAGO BUNYONYI (Uganda)

Um dos mais encantadores lugares de África. O desconhecido Uganda é uma excelente aposta para reforçar o amor. Fica a sugestão do Bird Nest, um fantástico empreendimento amigo do ambiente com saída em piroga para o mítico lago Bunyonyi, onde as lendas do passado ditam a vida presente. O hotel nasceu precisamente de um belga louco de amores que procurava uma prenda invulgar para… o dia de S. Valentim. Despertar nos étnicos quartos e apreciar a natureza frondosa e o relaxado plano de água que se aninha aos pés do nosso olhar, enquanto a bruma se dissipa na misteriosa paisagem, é sensação impossível de esquecer…

E PARA OS ULTRA-RADICAIS…

– DEPRESSÃO DE DANAKIL (Etiópia)

Poucos lugares no Mundo são tão desafiadores e estimulantes. Uma das regiões mais inacessíveis e menos exploradas da Terra. É oficialmente a zona mais quente do planeta. Tem invulgares e coloridas paisagens lunares. Zona fronteiriça palco de letais problemas entre etíopes e eritreus – há turistas sequestrados e mortos. É cenário de milenares rotas de sal. E habitada por um dos povos mais resistentes e ferozes: os Afar. Tem o “charme” de ser uma das mais inóspitas regiões do globo, com temperatura média anual de impressionantes 34,4º. Total ausência de luxos. Este sedutor marco de África é exigente teste às nossas capacidades. Físicas e mentais. Dormir dias ao relento sobe um céu viciante é…

Se o Amor resistir a estas agruras, nada os separará!!

 

TODOS estes lugares já foram visitados por BORNFREEE.

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?