Perdição gastronómica na histórica Bucareste

Comentar

Europa Roménia

Para cair no meu goto, um destino não se pode descurar num encanto muito especial: gastronomia. ADORO arquitetura, bebo história, sorvo a natureza, entusiasmo-me com todo o tipo de atividades – mais ou menos desafiantes -, mas se, depois, na sagrada hora da refeição não há nada que satisfaça legítimas expectativas a ser (muito) positivamente surpreendido, fica um sabor a… pouco. Evidentemente, falo sempre no pressuposto de exímia relação qualidade-preço. Acessível ao bolso médio português.
Caru’ cu Bere ( www.carucubere.ro/en ) é um histórico em 13.º lugar entre 1.260 restaurantes listados no tripadvisor, enquanto a Taverna Covaci segue num igualmente honroso 188. Irrelevante, pois as experiências que vivenciei em ambos os lugares bastam-me para escrever sobre os mesmos.
O primeiro é o mais antigo restaurante de Bucareste. E dizem que o melhor na comida tradicional romena. Na verdade, uma verdadeira experiência na viagem: pela comida, pelo cenário e tudo o que vai acontecendo num dos mais amplos e concorridos espaços gastronómicos.
A comida é deliciosa – as fotos não lhe fazem jus – e o violino acompanhado de órgão confere ao Caru’ cu Bere um ar de secular glamour, em harmonia com a decoração Art Nouveau. Espalhada por dois andares, separadas por inspiradoras escadas.
O contraste? Uma dupla de espanhóis saída de um filme de… Emir Kusturica. Um advogado de apelido Cappa (quantas famílias de mafiosos há com este nome?) e um ex-presidente de câmara que mais parece ex-presidiário. O primeiro queixa-se que o seu amigo só pensa em mulheres e sexo. O segundo mostra a toda a gente fotos da sua ex-mulher, violinista. Quando um dos dois se ausenta, o outro desfaz-se em queixas. E garante que é a última vez que viajam juntos. Arrancam-nos as mais sinceras gargalhadas da jornada. E ainda não falei na aventura que meteu máfia romena, pistolas e fugas atabalhoadas…
Estamos num dos lugares míticos de Bucareste e há que aproveitar um restaurante que é pródigo em misturar cuidada e diversificada gastronomia local com eventos culturais. Bem no coração do centro histórico, na rua Stavropoleos. Turístico? Sim, claro. Mas não é assim em todo o lado quando algo sobressai da média?
Decoração Art Nouveau em edifício de inspiração gótica de 1899, 20 anos depois do restaurante original ter sido criado. Está, sem favor, classificado como edifício histórico.
A Taverna Covaci ( http://taverna-covaci.ro ) fica a dois passos do hotel e foi indicada como a melhor para experienciar comida local, em lugar rústico e a preço acessível. E tudo isso foi confirmado, mesmo que o serviço nem sempre fosse o mais lesto.
Petiscar diversas iguarias – incluindo ‘robustas’ sopas – até o corpo não aguentar, sempre acompanhado de tintos locais, uma constante nestas explorações Bornfreee. Nesta jornada não quero ouvir falar de balanças…
E não faltou música ao vivo. Neste caso, como que o Marco Paulo da noite de Budapeste. Como é bom voltar à Roménia e ‘mergulhar’ em lugares novos…

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

code