Tags:

Moldávia: o maior ‘cofre’ mundial de vinho

Comentar

Europa Moldávia

Quando pensamos em vinho, na sua qualidade ou capacidade/potencial de exportação de um determinado país, dificilmente a Moldávia nos vem à mente. Mas devia…

As caves subterrâneas francesas da Champagne, Borgonha e Bordeaux serão as mais tradicionais e visitadas do mundo, mas ficam-se por uns ‘meros’ 20 quilómetros. Longe de desdenhar estas verdadeiras minas do mais saboroso nos néctares, apenas as comparo com duas da Moldávia, que competem pelo estatuto das maiores do Mundo.

Cricova e Milestii Mici. Dois nomes de adegas a ter em conta. As primeiras começaram a ser escavadas no século XV e têm ‘entranhas’ de calcário: o objetivo era extraí-lo para a construção de Chisinau, a capital.

Os seus corredores totalizam cerca de 100 quilômetros de extensão, vão até 7,5 metros de largura e 3,5 metros de altura (sim aqui circulam automóveis em ruas batizadas com nomes de uvas) e, o mais importante, albergam cerca de 1,3 milhões de garrafas de mais de 600 marcas diferentes.

Na II Guerra Mundial serviram de esconderijo e armazenamento militar. Entretanto, muitas figuras de estado de renome mundial por cá andaram. O francês Jacques Chirac, o chinês Jiang Zemin ou o russo Vladimir Putin, que aqui celebrou o seu 50.º aniversário, são apenas alguns exemplos. Os compatriotas Leonid Brejnev e Mijail Gorbachov também eram clientes habituais. Tal como o astronauta Yuri Gagarin: diz-se por cá que o primeiro homem a viajar para o espaço e a voltar para o Planeta Terra se terá perdido durante dois dias até conseguir sair à superfície…

A Milestii Mici data de 1969 e visava armazenar, amadurecer e preservar vinhos de alta qualidade para exportação. As informações sobre as mesmas são algo contraditórias, mas é certo que as suas galerias atingem até 100 metros de profundidade. Dizem que são cerca de 200 quilómetros de galerias, embora o acesso seja apenas parcial. O Guiness Book of Records já a reconheceu como a maior coleção de garrafas de vinho de qualidade do mundo, com mais de 1,9 milhão de garrafas.

Com a comidinha certa, este é um dos lugares onde, indubitavelmente, seria muito, muito feliz…

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

code