Esperar o vento…(ONDJAKI)

4 Replies

Poesia do Mundo

XII – vento

és a casa dos pássaros.
és o não-chão. nem tremor nem homens nem calor. és o
aéreo que encandeia as nuvens e, num passo gémeo, as
conduz.

és sedução genuína nessa textura que usas no mar. os
pássaros te frequentam erráticos porque também és o
eco da poesia – a estranha densidade de nada pisar.

o não silencioso.
o silencioso.

és o deserto que chove sobre o mundo.

 

Ondjaki – NDALU de ALMEIDA
Nasceu em Luanda em 1977. Prosador. Às vezes poeta. Licenciou-se em Sociologia e é membro da União dos Escritores Angolanos.

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul e na Rússia ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?

4 comments

  1. Maria Clara Oliveira Amorim

    Liiiindo de lindo, Rui!
    Obrigada por também nos ofereceres poesia pura!
    Abraço da Clara

    1. Rui Batista

      Clara, esta rubrica tem estado “pouco activa”. Sugestões são sempre bem vindas… 🙂 bjksss..

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

code