‘8 Villas’: ‘Escapadinha’ (mais que) perfeita em Santo Tirso

12 Replies

Em Portugal

A 20 minutos do Porto há um hotel/restaurante que vale (muito) a pena descobrir…

Começar muito bem a noite é a melhor forma desta trilhar caminhos de sonho, perpetuando-se nas nossas memórias. Por isso, um jantar soberbo revela-se um ingrediente imprescindível a um fim de dia marcante, sublime. É essa a experiência que vivo no ‘8 Villas’. Um entusiasmante projeto em Santo Tirso.

Como se uma dança se tratasse, opto pelo papel de me deixar ‘conduzir’. Não me delongo no vasto, tentador e diversificado menu, antes desafio os entendidos: surpreendam-me o palato! E assim é…

O ‘fondant de alheira’ e a tábua de enchidos com que inicio esta épica jornada gastronómica quase me bastariam para ficar plenamente satisfeito. Saboreio um e outro. Delongadamente. Não me fico por aqui. Há imenso que ainda desejo descobrir…

Ceviche é outra das surpresas. E, neste caso, das boas. Não tem sido fácil encontrar esta iguaria com os ‘atributos’ peruanos – que saudades de Lima… – mas posso atestar que este petisco, no ‘8 Villas’, me sabe a divino. Fico fã. Fervoroso. Bem como do sushi neste que é o primeiro restaurante a apresentar na cidade a comida japonesa. Poderia ir pelo ‘freestyle’, no entanto deixo-me tentar pelo Villas Secret Fusion. Temo ficar repetitivo nos elogios a um projeto que  prima igualmente pela ementa de autor.

“O segredo? É mesmo fazer tudo com amor, intensa paixão. Darmos o melhor de nós a cada dia e depois ousar, sempre com produtos de extrema qualidade. Desenvolver esta ideia nesta casa em Santo Tirso tem sido uma experiência gratificante, fantástica”, confidencia-me o ‘chef’ Alexandre Progenio, que cruzou o Atlântico para se apaixonar e fixar a sua arte em Portugal.

A boa conversa arrasta-se pela noite – admito que não recordo o excelente vinho com que vou acompanhando esta investida gastronómica – e ainda descubro espaço para um suculento, tenro e saboroso tornedó com molho de pimenta. Hummm… e logo eu, confesso adepto de TUDO, menos de carne.

O festim – tive de dizer ‘não’ às tapas, uma das especialidades nesta casa – que me obrigará a longas horas de juízo passa também por uma tarte de limão que, sendo muito boa, não me encanta com a mesma intensidade do fondant de caramelo e bola de gelado, a roçar a divindade.

Estou arrumado. Nem digestivo. Nem cocktails. E não falta por onde escolher… uma carta de bar, vinhos e cocktails, vários de autor. Que no tempo quente podem ser degustados em esplanada privada, na parte de trás do edifício.

Há que aproveitar Santo Tirso. O Museu Internacional de Escultura Contemporânea (MIEC) é uma referência no panorama artístico nacional que tem captado o interesse à escala global. O burgo também começa a cativar visitas pela coleção de esculturas ao ar livre…

“É aceitar entrar num labirinto de formas, cores, volumes imponentes ou passagens discretas, figuras desconcertantes ou frestas luminosas fazendo com que as necessidades da nossa imaginação ultrapassem o alcance dos nossos braços”, como se descreve no site da autarquia.

O milenar Mosteiro de S. Bento, que já foi da Ordem Benedita e data do ano 979, e o Parque Urbano Sara Moreira são outros motivos que justificam uma escapadinha a uma localidade onde as tradições e modo de vida persistem no ritmo do quotidiano.

A longa caminhada cansa e está na hora de voltar ao ‘8 Villas’. Agora, para dormir. Numa das oito suítes – todas diferentes, singulares, inspiradas por artistas portugueses – do aconchegante empreendimento, em edifício, mesmo no centro, classificado como Património Histórico da Câmara Municipal.

Ruína do século XIX requalificada, o prédio de três pisos mantém o caráter do granito tanto no seu exterior como interior. Nos quartos, as camas são de camurça cinzenta. As casas de banho são em pedra de xisto, que se conjugam com os azulejos. O chão é de cerâmica a imitar madeira. Tudo em tonalidades que me cativam.

Sem dúvida, usufruo de um local extremamente acolhedor. Minimalista, mas requintado. Elegante e prático, com cores sóbrias e onde apetece estar. Cheira a novo, não tivesse sido inaugurado este verão.

Estou a apenas 20 minutos do Porto… Guimarães, Braga, Famalicão, Amarante, Penafiel….

“Estou no lugar perfeito para relaxar e repor energias”, penso. “E para uma excelente escapdinha”, acrescento, antes de me perder em sono profundo em quarto com vista para o lindo casco histórico da cidade…

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?

12 comments

    1. Rui Batista Post author

      Carla, temos de atacar jantarinho de Ano Novo 🙂 Vejo que tens muitas (boas) notícias para me dar :)))

  1. Analuiza

    Ah, se tivesse sabido deste lugar em meus deliciosos dias no Porto… Sabes que quase não consigo chegar ao fim deste delicioso texto diante daquele banquete dos deuses, de tanta vontade de provas tudo aquilo… sendo em Portugal então cuja gastronomia eu tenho certeza ter qualquer coisa de divina, quase pego o primeiro voo. Por fim, aqueles quartos aconchegantes! 🙂 bj

  2. Pedro Henriques

    Amigo Rui, já há muito tempo que não vou para os lados de Santo Tirso! Esta tua experiência pode ser o mote para dar uma escapadela mais a minha mulher (ambos adoramos comer) para um fim de semana a fugir da rotina. Obrigado pela partilha e boas entradas, abraço!

    1. Rui Batista Post author

      Companheiro Pedro, acredita que ficarás mais do que bem servido 🙂 Na ‘cama’ e na mesa. Grande abraço e vemo-nos por lá… 🙂

  3. Aninha Lima

    Eu nunca tinha ouvido falar dessa cidade! Que lugarzinho legal para relaxar por um final de semana, hein?
    Amo esses passeios pertinho… boa dica!!!

  4. Mirita Frutuoso

    Que bem que “cantas” a minha terra. Com essa “letra” fiquei mais orgulhosa ainda! Parabéns pelo texto e pelas fotofrafias. Abre o apetite a qualquer um. Venham os turistas, a terrinha acolhe bem e agradece!

    1. Rui Batista Post author

      Mirita, mesmo sendo em ‘casa’… um dia vai lá experienciar ambos… tanto o restaurante como uma bela noite romântica 😉

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

code