BornFreee » Viajar Barato

Viajar Barato

Dormir GRÁTIS (ou muito barato).

Como tudo o que tem a ver com viagens, se tiveres mente aberta e estiveres disposto a tentar algo diferente, a tua experiência pode ser ainda mais rica, profunda e divertida, enquanto poupas dinheiro.
Antes de mais, há que definir o tipo de viagem. Com um orçamento folgado, dispensáveis preocupações de maior. Se for mais contido, há que rentabilizar a pesquisa. Se for mesmo limitado – ambos sabemos o que está em causa – aí há que levar a missão (ainda) mais a sério. As dicas que te vou dar são boas para todos – até pela experiência de vida – mas essencialmente para quem leva o planeamento muito a sério.
Quando viajas, qual a tua prioridade? Vais para conhecer as pessoas e os lugares ou os seus hotéis? Gostos à parte, limpeza, boa localização e segurança soam-me perfeito. Lugar sem ruído e cama apta a proporcionar-me bom descanso? Fantástico!
Eis algumas das tuas muitas possibilidades:

COUCHSURFING

1Em todo o Mundo, há gente disposta a viajar no seu próprio sofá, recebendo, de forma gratuita, desconhecidos na sua própria casa. É a vontade de partilhar experiências com pessoas de diferentes culturas e backgrounds ou aprender/praticar outra língua. Tens a possibilidade de experienciar mais profundamente a vida/quotidiano de um local. Ou de uma família. Já viste o privilégio que é alguém abrir-te as portas de sua casa? Sim, sou couchsurfer.
Este e outros projetos similares que disponibilizam estas ofertas apresentam sempre um perfil dos anfitriões, bem como dos ‘hóspedes’: os comentários/críticas ajudam-te a perceber quem está do outro lado.
A minha experiência, enquanto hóspede e anfitrião, é de conhecer gente fantástica, aberta e genuína. E que, em alguns casos, me referencia a amigos de outras cidades/países, facilitando-me pesquisa futura. Se for como eu, terás alguém que terá o maior prazer em cozinhar para ti e abrir uma boa garra de vinho. Deixando igualmente o frigorífico (e o seu recheio) ao teu dispor.

Alguns Links:
www.couchsurfing.com
www.hospitalityclub.org
www.stay4free.com
www.globalfreeloaders.com
www.belodged.com

HOSTELS + Bed & Breakfast
2Os hostels costumam ser uma boa opção: bom preço, normalmente centrais e o lugar ideal para novas amizades e partilha de experiências. Dividir o quarto/camarata vai permitir-te gastar menos. Normalmente têm cozinha, o que te permite confecionares as tuas refeições, poupando mais.
Tens várias tipologias de quartos, entre os quais camarata mista, masculina ou feminina.
Também te informam de gratuitos ‘walking tours’ e são um bom manancial de informação, estando igualmente disponíveis para te sugerir/marcar a próxima estadia.

Alguns links:
www.hostelworld.com
www.bedandbreakfast.com
www.hostels.com
www.hostelbookers.com

FICAR EM MOSTEIROS/TEMPLOS

Monks in front of bell towerÉs mais radical e queres ir mais fundo na tua experiência? E que tal dormir em mosteiros/templos? Podes dormir por valor residual – em alguns casos, até gratuitamente, ou mediante donativo livre – embora, obviamente, não esperes o maior dos confortos. Isso inclui wifi, TV e afins. Na verdade, até pode ser um favor que te fazem. Desligando do Mundo, os teu sentidos estão mais focados na experiência que estás a viver. Normalmente, conta com uma cama e uma secretária. E comida simples cozinhada por monges ou freiras.
Na Ásia, os mosteiros e templos costumam estar associados a quem deseje meditar… Porque não aproveitas para um oportuno 2 em 1? E olha as histórias que esta experiência te poderá proporcionar…
Lembra-te que boa parte dos mosteiros não estão referenciados na internet, pelo que, durante as tuas deambulações, poderás ir perguntado.

Alguns links:
www.monasterystays.com
www.bookingmonastery.com
eng.templestay.com

TROCA DE CASA

4Esta opção é geralmente mais adequada a viajantes mais velhos, que já tenham casa própria. Por algum tempo, é possível trocar de casa com uma família de outro país. Preocupação com segurança? Acontece o mesmo do outro lado. Os sites que providenciam essa opção disponibilizam vários níveis de verificação de segurança. E há sempre os métodos tradicionais de comunicação, prévios ao acordo. Se não agradar, não há qualquer tipo de obrigação. Evidentemente.

 

Alguns links:
www.trocacasa.com
www.homeforexchange.com
www.ihen.com
TOMAR CONTA DE CASAS

The house in human hands

E que tal cuidar de uma casa enquanto os proprietários estão de férias ou fora por algum motivo? Nada como uma casa/apartamento à disposição na área que desejamos visitar.
Depois de te inscreveres para um destes serviços (tem em conta de que a maioria envolve uma taxa de inscrição), tens acesso ao banco de dados de casas disponíveis. Encontrado um lugar, entra em contato com o proprietário. Se agradar, celebra um acordo, assina documentos (é importante para garantir que todos estão legalmente protegidos e as respetivas responsabilidades claramente definidas) e… está feito!
Habitualmente, estas oportunidades surgem para quem pretende ficar pelo menos um par de semanas, mas nada como procurar acordos mais curtos, se for esse o desejo.
Alguns links:
www.mindmyhouse.com
www.trustedhousesitters.com
www.housecarers.com

ARRENDAR APARTAMENTO

6A ideia é desfrutares de um período mais calmo, em zona mais tranquila e com o sempre importante acesso à cozinha? Essa privacidade pode ser encontrada num apartamento. Um ótimo meio-termo entre um hotel e hostel, caso não viajes a solo. E poder cozinhar vai ajudar-te a reduzir os custos. Ou mostrares os teus dotes a novos amigos que tenhas feito no destino.

Alguns Links:
www.airbnb.com
www.wimdu.pt
www.roomorama.com

FICAR EM QUINTAS

7Queres experienciar a vida do campo, mas sem trabalhar como no projeto WWOOF? Que tal ficar numa quinta? Podes aprender como é o trabalho, eventualmente participar em alguma atividade e apreciar um conjunto de situações ‘outdoor’. Mais ou menos luxuosas, vai depender dos teus propósitos e carteira.

Alguns Links:
www.farmstay.co.uk
www.farmstayus.com/
www.farmstay.co.za

 

WWOOF

9Este programa permite-te ficar numa quinta e trocar acomodação por trabalho. Fazes algo em prol do projeto/comunidade, tornas-te útil e recebes cama e comida gratuítos. Não é necessário ter experiência de ‘campo’, nem esperes que te façam simplesmente ordenhar vacas. Muitas vezes, são tarefas básicas e simples de limpeza e manutenção.
Alguns links:
www.wwoof.pt
DICAS SUPLEMENTARES:

HelpfulTipsNote– Ponderar bem antes de reservar pela internet. Mesmo que o faças, sempre podes negociar. Não é a primeira vez que identifico um hotel, que o contacto diretamente e me fazem um desconto, normalmente do montante da comissão que dão ao motor de busca.
Pensa ainda que, se viajares mais ‘livre’ e com tempo, ao chegares a um novo destino podes procurar uma opção mais em conta e em melhor lugar. Uma reserva atempada pode ‘travar’ a tua viagem, retirando-lhe a agradável dose de imprevisibilidade que muitas vezes nos estimula.
– Os guias de viagem são apenas uma referência. Até porque, muitas vezes, os preços já estão desatualizados. Quando os projetos são referenciados em publicações internacionais, o negócio aumenta, nomeadamente a procura e os preços. Os guias são bons para perceber a zona da cidade mais interessante: uma maior concentração significa que estás no caminho certo.
– NEGOCIAR. Sim, não é apenas nos mercados asiáticos ou nos países árabes que podes negociar: se a estadia não é de apenas uma ou duas noites, porque não tentar um valor de consenso?
– Os viajantes com quem te vais cruzando – seguem o caminho inverso – também podem ser importantes: já estiveram no local e dão-te bom feedback quanto a lugares para ver, coisas para fazer, mas também a melhor zona para ficares e até te sugerem estadia.
– CAMINHAR. Não se trata de preocupação com exercício, mas caminhar pelas zonas de maior concentração de hospedagem aumenta a probabilidade de encontrares a solução ideal para ti. E poupas em transportes.

12

 

 

Quando o orçamento é mesmo baixo…. a melhor estadia é aquela pela qual não tens de pagar:
– Dormir enquanto se viaja. Em trajetos longos e menos interessantes, porque não dormir em comboios (com cama, claro) ou os ‘sleeping bus’?
– Andar faz bem à saúde… e carteira. Muitas vezes as estadias mais em conta não estão disponíveis na internet, pelo que nada como calcorrear alguns quarteirões para encontrar a melhor solução, na zona que mais te interessa. Olha. Vê. Compara. Negoceia. E opta pelo que te dá melhor ‘custo-benefício’, não apenas em termos monetários.
– Tens avião demasiado cedo? Dormitar no aeroporto pode ser mais do que uma necessidade, mas uma opção mais ‘inteligente’. Sem necessidade ($$), já tive de o fazer por mais do que uma vez.
– Tens familiares ou amigos em determinado destino? Ou contactos de alguém que conhece…? Podes rever caras saudosas e poupar na estadia e alimentação. Cozinhando para quem te hospeda é uma boa forma de agradecer e ainda te fica mais barato.
E que tal dormir em casa de novos amigos feitos em viagem? Sendo ‘locais’, dão-te a melhor informação e até podem sair contigo.

Como vês, sobram-te possibilidades. O próximo passo? Pesquisar os melhores voos (vê AQUI como) e parte!

Rui Barbosa Batista
Um mix de jornalista, líder e cronista de viagens, cumpri em 2016 uma centena de países no currículo. Cobri noticiosamente os Jogos Olímpicos na China, o Mundial de futebol na África do Sul ou os Jogos Europeus no Azerbaijão, mas o que me apaixona verdadeiramente são as pessoas e tudo o que (ainda) não conheço. Aventuras em inóspitos desertos, desafiantes glaciares, imponentes vulcões ou sublimes fiordes juntam-se ao doce prazer de cidades charmosas, países remotos e culturas exóticas. De tudo um pouco é feita a minha experiencia no globo. Continuamos juntos?