Insensatez de Aerporto

Insensatez de Aerporto

O aeroporto de Lisboa fica na cidade, excelente para quem viaja. O do Porto a 12 quilómetros do centro, com exemplar rede de metro. Em Mandalay, são 40 (!!) os quilómetros. Uma insensatez, para não lhe chamar outra coisa. Há imensidão de terrenos planos bem mais perto… completamente desaproveitados. Não é só em Portugal que se fazem as grandes negociatas.
A única zona em toda a Birmânia em que encontro autoestrada, é o desértico acesso ao aeroporto. Surreal. Criminoso. Chegaremos sem stress ou transito e dirigimo-nos às partidas. Na verdade, parece um aeroporto fantasma. Não se vê gente.
Não há balcões de check-in em zona exterior. Só depois de passar o segurança. Que não permite que ninguém se aproxime sequer da entrada se não for menos de duas horas do seu voo.
A surpresa de não ser uma, mas quatro pessoas a tratar do meu cartão de embarque. Entre verificar o passaporte, lista de passageiros, emitir o bilhete e sei-lá-mais-o-quê, são quatro. Em processo rudimentar.
Patrícia já partiu, rumo a Banguecoque. Ainda pensei que nos veríamos novamente na zona interdita a quem não viaja, mas tarde demais. Tem planos para se divertir por lá, onde ficará duas noites. Ruby desaparece em outra zona de check-in, porém logo nos reencontramos. Fazemos as últimas compras e despedimo-nos.
Esqueci de dizer que no check-in não emitiram o bilhete até ao Porto. Melhor respirar fundo para relatar a odisseia que nos espera….

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Explore mais

Lançamento livro

“BORN FREEE – O Mundo é uma Aventura”

Este é o primeiro livro de um autor português, Rui Barbosa Batista, que nos leva a viajar por mais de 50 países, dos cinco Continentes, não em formato de guia, mas antes em 348 inspiradoras páginas, 24 das quais com fotografias (81).