Corinthia Khartoum (Cartum): o mais estimulante oásis do Sudão

Corinthia Khartoum (Cartum): o mais estimulante oásis do Sudão

As viagens são feitas de memórias. Essencialmente de pessoas fantásticas e de lugares mágicos.

E é por isso que o Corinthia Khartoum se tornou num dos pontos altos da minha viagem ao Sudão, país seguro, mas severamente injustiçado nas notícias dos Media internacionais. Não é utópico: o Sudão merece uma visita. Não por ter dois Nilos (branco e azul) e mais pirâmides do que o Egito, mas pelo privilégio de privarmos com um dos povos mais genuínos, afáveis e hospitaleiros do planeta.

São 02:10 da madrugada e aterro em Cartum (Khartoum). Muitas horas de voos e escalas desde o Porto, com paragens em Barcelona e Cairo. Deixo o frio fevereiro de Portugal para ser abraçado por simpáticos 24.º, que logo mudam o registo mental, que traja de imediato de saudosa África.

Indiferente aos avisos (e pedidos) para que não faça esta viagem – nada há de pior do que os medos sem sustentabilidade racional – sou recebido por quase dois metros de genuína simpatia. Hisham é responsável pelo tardio transfer que o hotel gentilmente me providencia. Enquanto aguardo pelo meu companheiro de aventura, o saudoso ‘Bill Sorridente’, vamos trocando conversa que logo me dá a sensação de que vou experienciar, verdadeiramente, algo diferente. O meu interlocutor é bom conversador. Tem sentido de humor, fala na medida certa e faz-me pensar que lhe sobram capacidades para chegar aonde quiser, nesta vida. Aliás, é assim com a rececionista Rabah, com a responsável dos pequenos-almoços Safa e vários outros sorrisos que ficaram na memória.

DOCE DESPERTAR

Acordar com olhar direto para o Nilo – é aqui, na capital do Sudão, que os seus braços ‘branco’ e ‘azul’ se juntam para dar ao longo e poderoso Nilo todo o seu vigor – é regalia matinal exclusiva do Corinthia, onde os quartos nos andares superiores nos dão ainda maior sensação de liberdade. Logo abaixo do restaurante panorâmico Mugran (já lá vamos), que tem as melhores imagens da cidade, do seu altivo 16.º andar.

O nono andar onde fico instalado permite-me ter uma vista ampla sobre a paisagem urbana, que ganha contornos e dimensões faraónicas ao pequeno-almoço, no Mugran. Diariamente, procuraremos telas urbanas diferentes (como quem diz, mesas com distintas paisagens) para apreciar um dos mais vastos, saborosos e criativos buffets de pequeno-almoço que alguma vez encontrei. Provar todas as iguarias disponíveis – frios e quentes, salgados e doces, frutas, queijos… – é missão quase impossível, no entanto uma epopeia que desejo abraçar para tornar esta experiência no Corinthia ainda mais memorável. Admito: vai ser demasiado difícil manter a linha…

Quem se sentir mais culpado do que eu, tem à disposição um completíssimo ginásio ou uma tentadora piscina interior climatizada convidativa ao relaxe e perda de algumas calorias extra.

INJUSTIÇADO SUDÃO

Esta região do globo não tem sido fértil em boas notícias na comunidade internacional. Após anos de convulsão, o país dividiu-se – 09 de julho de 2011 foi consumada a independência do Sudão do Sul – e nas nossas mentes persiste a imagem de violência, atualmente apenas realidade no seu novo vizinho, o mais novo país do globo.

No Sudão apenas encontro cenários pacíficos e gente de bem. O Corinthia é o ideal começo e final de aventura de duas semanas, pois permite uma ambientação ao país no mais cativante dos seus hotéis e, acima de tudo, o primeiro contacto com o povo mais afável que já encontrei em África, muito provavelmente em todo o ‘Planeta BORNFREEE’, que contempla já 106 nações.

Para quem desconhece, o Sudão é um dos mais diversos países africanos, pois alberga desertos, cadeias montanhosas, pântanos e florestas tropicais. Vida selvagem, safaris, Nilo e pirâmides, em maior quantidade que no Egito e habitualmente ainda mais antigas.

PRAZERES NO CORINTHIA

Depois de preencher os dias a explorar os recantos de Cartum e das ‘gémeas’ Omdurman e Bahari – separadas pelos Nilos – nada como dedicar-nos aos diversos prazeres do SPA.  Com todas as condições para uma perfeita imersão em ambiente de sereno relaxamento. O ginásio e centro de fitness estão equipados com o mais moderno equipamento e os campos de ténis e squash são uma tentação, mas é na piscina, no jacuzzi e no banho turco que aposto para me perder dos dias. Revigorar corpo, alma… e gula para os prazeres gastronómicos da noite.

O spa tem muitos mimos com que nos entretermos, protagonizados por uma equipa mais do que dedicada e com elevada formação. Apta a superar as melhores expectativas. Há vários tipos de massagem para nos revitalizar. Dar-nos vida…

JANTARES QUE SÃO GALAS GASTRONÓMICAS

O Corinthia dá-nos a distinção de várias escolhas para podermos jantar sem abandonar as condições de excelência do icónico edifício, com uma arrojada arquitetura que o tornam um símbolo não apenas da capital, mas de todo o Sudão (podem confirmar isso mesmo no Google imagens).

Gastronomia internacional inovadora e autêntica, cozinha sudanesa, ingredientes de altíssima qualidade, bebidas elegantes, perspetivas soberbas sobre Cartum e ambientes cativantes resumem as várias opções ao dispor.

Confesso a minha preferência: o Mugran. É aqui que nos delongamos em intermináveis pequenos-almoços e não temos pressa de abandonar ao jantar, aproveitando os belos retratos da cidade na madrugadora luz do dia e a paleta de cores quentes quando este desmaia.

O buffet é riquíssimo e é impossível provar todas as especialidades, seja em entradas, pratos principais ou sobremesas. Cumpre com as exigências dos mais seletivos e ‘esquisitos’ palatos. Satisfação plena. O meu palato descobre novos e enriquecedores sabores.

Dois andares acima, o Rickshaw é o mais alto restaurante de Cartum, pois está no 18.º, embora, face ao tipo de arquitetura, não tenha ângulos de visão para o exterior tão privilegiados. É essencialmente asiático. Aqui temos a oportunidade de saborear as melhores receitas do Japão, China e Tailândia.

O Le Grill fica no -1. Com ambiente de ‘clube noturno’ (no bom sentido), destaca-se pela música e grandes ecrãs de televisão, num ambiente mais descontraído ideal para quem deseja um bar para animada conversa ou assistir ao melhor do desporto mundial. Claramente, mais vocacionado para um espírito social e convívio relaxado.

Para comidas mais leves, há ainda o Nile River Café e o Café Khartoum. Não experimentamos estas opções, mas acredito que tenham predicados ao nível dos anteriores. Se a fome chegar em momento mais ‘impróprio’, nada como o serviço de quartos, disponível as 24 horas.

DORMIR EM PACÍFICO ÉDEN

Admito que prefiro as vistas diurnas, mas a noite também cai bem desde a janela do meu quarto. Cenários cativantes e o conforto excecional, em aposentos que vão dos 34m2 aos 45m2. Com olhar privilegiado para o Nilo e o lado mais cosmopolita de Cartum. Com todos os luxos e comodidades que se esperam de um elitista cinco estrelas, incluindo espaçosas áreas de ‘estar’ e de trabalho.

Quem apostar nas habitações executivas e nas suítes, tem acesso ao “Executive Clube Lounge”, no sexto andar, virado para a confluência dos Nilos. Privilégios adicionais…

No rés-do-chão podemos encontrar ainda lojas de artesanato, provavelmente a melhor opção que vai encontrar no país, ainda sem qualquer tipo de preparação para o turismo.

“As pessoas são o primeiro, segundo e terceiro motivo para visitarem este país rico de interesses e que é, garanto-vos, muito seguro.  É normal que recebam convite para um chá ou café, que vos ofereçam a casa para pernoitar. No Corinthia queremos oferecer calorosa hospitalidade sudanesa com um serviço com padrões de qualidade europeus. Para que a experiência seja, realmente, inesquecível”, diz-me Mohamed Shoier, egípcio  responsável pelo marketing deste projeto.

Logo ao lado, o museu nacional do Sudão, o palácio presidencial, o museu do palácio ou o museu etnográfico.  Está no epicentro dos lugares de interesse de Cartum.

“Como durmo pouco, costumo passear por estes lugares a altas horas da noite. Nunca tive um problema. O Sudão é realmente seguro. Esqueçam os sensacionalistas Media internacionais e perguntem a quem realmente cá esteve”, completa Shoier.

O Corinthia, que recebe homens de negócios, casais enamorados, festas e casamentos, congressos e feiras internacionais (tem 10 salas desde os 36 m2 aos 900 m2), tem 230 quartos (o mais luxuoso pode chegar aos 5.000 euros/noite) é bem mais do que um hotel. É uma instituição no Sudão e nestas latitudes de África.

Aqui, sentimo-nos em casa. Usufruímos de tratamento VIP, deliciamo-nos com a melhor gastronomia, com restaurantes com levados padrões de qualidade em espaços com atmosfera especial e temos sempre um genuíno sorriso a tratar do nosso bem-estar. Com uma qualidade de serviço de classe mundial. Um oásis de luxo e tranquilidade, com hospitalidade e segurança.

Agora, o sonho é voltar…

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Explore mais

52 Comments

  1. Francisco Agostinho

    Eh pá será que vou poder ir dormir aqui uma noite?? Deixa lá ir ver…hummm, se calhar fico-me por um jantar hahaa
    Isso é mesmo uma instituição. Vou tentar ir visitar para ver a vista sobre os “Nilos”, abraço !!

    1. Rui Batista

      Francisco, why not? 🙂 Fala-me em privado…

  2. Carla Alexandra Fernandes Mota

    Este é outro Sudão. Não sei se ficaria aqui. O contraste é brutal. Mas é um óptimo hotel. Imagino que seja essencialmente para homens de negócios. Gostei do texto.

    1. Rui Batista

      Carla, isto “não é o Sudão” 🙂 É “apenas” a melhor forma de começar e acabar a jornada num país com o melhor povo do Mundo 🙂

  3. Alessandra Fratus

    Rui, essa viagem sua fez o Sudão entrar para a lista de destinos dos sonhos. Adoro viajar com você nas suas histórias, aventuras e memórias. É tão bom viajar por lugares mágicos e pessoas fantásticas, não é? Obrigada pela inspiração! Abraços.

    1. Rui Batista

      Beijinho e boas viagens, Alessandra 🙂

  4. Luiz Jr. Fernandes

    Me transmitiu uma nova visão do Sudão. Há tempos tenho o desejo de conhecer o litoral desse país e obter a experiência de mergulhar nas águas espetaculares do Mar Vermelho novamente. Parabéns pela matéria, realmente muito inspiradora! Abraços!

    1. Rui Batista

      Luiz Fernandes, o Sudão tem muito a oferecer, além das más notícias nos Media internacionais 🙂

  5. Alessandra Cayley

    Olá, Rui, obrigada pelo post com um destino tão inusitado. Fico a minha ideia sobre a região!

    1. Rui Batista

      Beijinho e boas viagens, Alessandra 🙂

  6. Edson Amorina Jr

    O texto e as fotos estão maravilhosas, como sempre. E realmente mostram que é uma injustiça nao termos mais conhecimento dessa região, quer dizer, boas notícias, por que só compartilham a parte ruim.

    Eu escrevi um post sobre onde ficaria a fictícia Wakanda, do filme Pantera Negra da Marvel, e é bem nessa região (divisa com Sudão do Sul pra falar a verdade) e é engraçado como escolhemos vê-la na ficcção mas fugimos da realidade.

    Que isso mude.

    1. Rui Batista

      Integralmente de acordo contigo, Edson 🙂 Um ENORME abraço desde o outro lado do Mundo!

  7. Andrea

    Muito legal a postagem…como essas leitura são enriquecedoras… estou olhando de uma forma diferente para lá agora. Obrigada por compartilhar a sua experiência com a gente.

    1. Rui Batista

      Obrigado, Andrea. Beijinho e boas viagens 🙂

  8. Cristina Souza da Rosa

    Gostei muito do post. Um bom serviço ao Sudão e um convite a visitá-lo. Jamais pensei em fazer uma viagem ao Sudão e teu post mudou o meu pensamento.

    1. Rui Batista

      Cristina, África vale mesmo a pena e o Sudão surpreendeu-me muito pela positiva 🙂

  9. Oscar | www.viajoteca.com

    Nunca tinha visto um post sobre o Sudão e o seu mudou completamente o “Pre-conceito” que tinha sobre esse destino. Ainda não tive a chance de conhecer nada da África.. Tenho a impressão que este continente deve ser fantástico para ser explorado. Uma pena que as noticias e a instabilidade sócio-política dessa região acabe afugentando muita gente.

    1. Rui Batista

      África é a “próxima fronteira” para viagens estimulantes 🙂 abraço, Oscar!

  10. angela sant anna

    realmente o que vc descreve é o que não vemos nas notícias e nos avisos, muito bom ter os dois lados e aparentemente a imagem do país é injustiçada.. é aquela coisa né, a guerra e violência se prevalecem as coisas boas! quando falei pra minha mãe que eu ia para o Vietnã ela quase surtou ai tive q lembrar que a guerra tinha acabado faz teeeempo aehauehaueha

    1. Rui Batista

      lol Entendo-te bem, Angela. Recordo-me de várias situações dessas, com particular ênfase para o Ruanda. Visitei o país 20 anos após o genocídio… mas o filme Hotel Ruanda parecia ainda demasiado fresco na mente das pessoas. Beijinho e boas viagens…

  11. Ana Campeão

    Fiquei com curiosidade de conhecer o hotel mas mais ainda o país:) viajar através dos teus textos é um prazer só superado pela experiência de viajar com o Bornfreee:)

    1. Rui Batista

      Obrigado, Ana 🙂 Espero que continues a ter estimulantes experiências Bornfreee para que estas se perpetuem no futuro… Beijinho e boas viagens…

  12. Paula Marques

    Rui é sempre um prazer ler o que escreves, consegues transportar nos para novos mundos apenas com as tuas palavras, e deixa me sempre com uma vontade enorme de estar lá a viver essas experiências fabulosas. Beijo

    1. Rui Batista

      Obrigado, querida Paula Marques. Um dia enveredas por aventura comigo, boa? 🙂 Bjkssss…

  13. Claudia Pesqueira

    Fiquei com vontade de conhecer o país e o hotel. Realmente há muito preconceito e ninguém imagina um hotel com tantos encantos num país desses. Quem sabe um dia passo aí uns noite ou duas 😉.

    1. Rui Batista

      Cláudia, tendo em conta o teu perfil aventureiro… acho que irias curtir 🙂 Os extremos de uma bela experiência no Sudão. Beijinho e fantásticas viagens…

  14. SSS

    Obrigada por esta partilha em palavras que despertam desejos… O hotel é único! Muito bom ouvir-te falar, com entusiasmo ímpar, do Sudão…

    1. Rui Batista

      Obrigado, Patrícia 🙂 Sempre um prazer o teu feedback 🙂 bjkssss e boas viagens….

  15. Viviane Carneiro

    Texto e fotos maravilhosas! Seus relatos nos fazem ter uma visão sempre diferente dos lugares apresentados. Parabéns!

    1. Rui Batista

      Obrigado pelo carinho, Viviane 🙂 Beijinho e boas viagens…

  16. Diego Arena

    Obrigado por compartilhar coisas assim de um país que querendo ou não muitas pessoas tem medo de visitar.
    Lindas fotos

    1. Rui Batista

      Obrigado, Diego 🙂 Grande abraço e boas viagens!

  17. Analuiza

    Bom ler textos que desconstroem as imagens de violência que se grudam em nossa mente e nossa alma. Bom ler textos de pessoas que saem por ai mostrando o lado bonito de países que até então enchiam nossa mente de imagens equivocadas.

    1. Rui Batista

      Obrigado pelas palavras, Analuiza. O Mundo tem preconceitos a mais e experiência no terreno a menos. A ver se vamos desconstruindo isso 🙂 Beijinho e boas viagens…

  18. Filipe Morato Gomes

    É pá, qualquer dia vou espreitar o Sudão. Para já Argélia, depois logo de vê… 🙂
    Obrigado pela partilha. Abraço.

    1. Rui Batista

      Filipe, acredito que a Argélia não te vai sair da cabeça durante muito, muitooooo tempo 🙂 E depois adorarás também o Sudão :)))

  19. VICTORIA M FARINA

    Ual, que lugar interessante e diferente. Quero muito visitar o Sudão e países em volta. Quem sabe em breve não saímos do Sudeste Asiático e damos uma passadinha 🙂 Adoramos as dicas !

    1. Rui Batista

      Victoria, é uma “nova fronteira” 🙂 Arrisquem…

  20. Amilton

    Que ótimo ler o seu post e conhecer um país do qual sempre ouvi só coisas negativas. É bom saber que nem tudo é aquilo que a mídia divulga, na verdade esse é o real papel dos blogueiros de viagem, parabéns pelo post e pelo seu trabalho. Abs

    1. Rui Batista

      Amilton, é mesmo isso: viajar, ir ver pelos nossos próprios olhos e vez de nos limitarmos à ‘toxicidade’ dos Media 🙂

  21. Ruthia

    Se algum dia imaginava que o Sudão tinha sequer um hotel deste gabarito. Se estivesse por aí, acredito que o peso na consciência por causa do excesso de calorias também não me levaria ao ginásio… mas o calor também ajuda a depurar, não achas? E o SPA também. Adorei os sorrisos e as pessoas que nos vais descrevendo nesta série magnífica.

    1. Rui Batista

      Ruthia, para mim foi uma verdadeira surpresa. E, admito, o Corinthia é mesmo um ‘oásis’ neste Sudão que tem um povo verdadeiramente fantástico, ímpar na arte de bem receber…

  22. Anna Luiza Santiago

    Que destino interessante. Adorei o SPA e o restaurante com vista panorâmica. Deve ter sido uma viagem memorável!

    1. Rui Batista

      Anna Luíza… das viagens que (muito) marcam… 🙂

  23. Que belo relato Rui, realmente nos levamos pelo que está na mídia e acabamos menosprezando lugares incríveis. Dois Nilos, pirâmides e hospedagem em alto estilo, o Sudão rende ótimas memórias.
    Obrigada por compartilhar.

    1. Rui Batista

      Obrigado, Fabíola. Realmente, foi experiência que muito gostei 🙂

  24. Sara Oliveira

    Hotel muito bom na capital sudanês! Os quartos são muito bons, com excelente vistas sobre a cidade e Rio! A destacar o seu restaurante panorâmico, com excelentes refeições!

    1. Rui Batista

      Sara Oliveira, ao nível dos melhores que encontrei no planeta… em NADA ficou a dever à qualidade dos que encontramos na Europa. Beijinho e boas viagens…

  25. Leo Vidal

    Que lugares lindos! Deve ser uma outra experiência no Sudão, bem interessante. Adorei a parte gastronômica.

    1. Rui Batista

      Leo, um lugar onde apetece sempre voltar 🙂

  26. Roberta Lan

    Rui, que texto maravilhoso! As fotos também estão de arrasar. Adorei!

    1. Rui Batista

      Obrigado, Roberta 🙂 Beijinho e boas viagens…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Lançamento livro

“BORN FREEE – O Mundo é uma Aventura”

Este é o primeiro livro de um autor português, Rui Barbosa Batista, que nos leva a viajar por mais de 50 países, dos cinco Continentes, não em formato de guia, mas antes em 348 inspiradoras páginas, 24 das quais com fotografias (81).