15 horas de pura Birmânia

Os primeiros raios de sol já testemunham muita vida no caminho. Há grandes lençóis artificiais de água e modestas casas empoleiradas neles, assentes em frágeis estacas. Crianças brincam tal como os animais, sem rédea. Mulheres lavam e trabalham a terra. Os campos já labutam a bom ritmo, pois o calor...

Palavra, Mariana?

Mariana já diz boas palavras em birmanês. E já parece bem rotinada com o menu. As suas escolhas são aprovadas. E o que (não) sobrou vale como ovação pelas opções certeiras que nos tornam ainda mais curiosos pela gastronomia birmanesa. A conversa flui a um ritmo que só abranda quando...

Não se estranha e já entranha

Os amigáveis birmanenses e a sinfonia de estímulos a todos os sentidos aprisionam-nos num Mundo singular, onde a tal estética se torna apenas algo de aborrecido. Um estranho personagem de desmancha-prazeres. Provar OCNI’s (Objetos Comestíveis Não Identificados) é excelente exercício, acompanhado da inevitável negociação. Dizem-me que um birmanês consegue tomar...

Paraíso natural

O que mais se destaca na paisagem? O famoso Karaweik. O que é? Uma réplica de uma gigantesca embarcação real birmanesa, datada de 1972. Atualmente, é um restaurante com permanentes espetáculos musicais e de dança. De uma ponta à outra, caminhamos em “ponte” de madeira, que vai ziguezagueando pelas tranquilas...

Shine, Shine Shwedagon

É com este “peso” que subimos as escadas rolantes até encontrar um complexo repleto de gente em tom mais do que descontraído. Há quem reze, mas sobram jovens e crianças em eternas brincadeiras. Também não faltam monges e os seus smartphones. Sim, também há quem aposte na inevitável “selfie”. Somos...

YANGON/RANGON

Esta é a maior cidade da Birmânia e, até muito recentemente, a sua capital. Decompondo a palavra Yangon, temos “fugir dos inimigos” ou “fim de conflito”. Daria muito para contar… Por ter sido jugo britânico, sobram-lhe traços coloniais, embora a cidade de uns cinco milhões de habitantes mais pareça uma...