Paranóia da segurança

Paranóia da segurança

“Não precisa abrir”, disse o jovem da segurança, quando lhe revelei que tinha um pequeno portátil na mochila. Não sabe, mas poupou-me bom trabalho. Refazer a bagagem depois de a abrir é uma arte que ainda não domino na totalidade.Relaxadamente, passámos também com garrafa de litro e meio de água. Insertada. “Não devia ter trazido tanto líquido”, sorriu a segurança, quando levantávamos as mochilas. Acabámos por beber na sua frente. Não por que tivesse pressionado. As regras alegadamente relaxadas funcionam aqui. No mundo supostamente evoluído, são já um bom negócio.Banguecoque estava a ficar para trás. Não fazia propriamente parte da aventura. Dadas as mudanças de planos, acabou por ficar “fora de rota”. Íamos voar para norte. Mudando de país..

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Explore mais

Lançamento livro

“BORN FREEE – O Mundo é uma Aventura”

Este é o primeiro livro de um autor português, Rui Barbosa Batista, que nos leva a viajar por mais de 50 países, dos cinco Continentes, não em formato de guia, mas antes em 348 inspiradoras páginas, 24 das quais com fotografias (81).