Portugal revitaliza 62 Fortalezas de Fronteira e integra-as em rota turística

Portugal revitaliza 62 Fortalezas de Fronteira e integra-as em rota turística

Afirmar novos destinos turísticos enquanto se promove o desenvolvimento regional.

Em tempos, as fortalezas espalhadas nos limites do território nacional serviram para manter Espanha em sentido, garantindo a soberania do território. Agora, a ideia já não é dividir, mas unir: turistas portugueses e espanhóis num projeto de revitalização de 62 monumentos históricos lusos, atualmente em diferentes estados de conservação.

Esta rota, que tem como objetivo “promover e dar visibilidade aos territórios do interior e às regiões transfronteiriças”, conforme defende a tutela, é assumidamente inspirada no livro das Fortalezas de Duarte d´Armas, do século XVI.

O programa inclui a criação de condições de visitação e de conteúdos e será alvo de promoção internacional, aproveitando o forte crescimento do turismo fora das áreas que o país tradicionalmente promovia no exterior: Lisboa, Algarve e Madeira.

Desde o Tratado de Zamora, que assinala o nascimento de Portugal enquanto o país, ao Tratado de Alcanizes, que fixa as fronteiras do território nacional, houve a necessidade de ter uma rede de fortificações robusta e bem vigiada. Daí que a Norte e a Este exista um vasto conjunto de fortificações militares que são testemunho da história da formação no nosso país.

O governo vai criar uma plataforma onde estarão assinaladas todas as fortalezas, transformadas em âncoras de desenvolvimento regional e se afirmarão como novos destinos turísticos.

BORNFREEE – NOTÍCIAS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Explore mais

16 Comments

  1. Clara Amorim

    Uma excelente notícia, para variar!!!
    Abraço!

    1. Rui Batista

      Clara, acho que este projeto vai ser muito importante para a sustentabilidade das pequenas localidades da raia… que o turismo ajude a fixar as populações. Um dia desejo viver numa destas regiões..

  2. Fernanda Souza

    Que interessante esse projeto de unir os turistas portugueses e espanhóis e a revitalização das Fortalezas. Vi muitas delas no Algarve.

    1. Rui Batista

      Fernanda, um dia experimenta fazer toda a raia… vais ficar surpreendida :))) Não falta beleza, lugares encantadores…

  3. Filipe Morato Gomes

    A ideia parece boa mas, em Portugal, anunciar que se faz não quer dizer que se faça. É esperar, portanto. 🙂

    1. Rui Batista

      Esperar… e contar com o contributo dos bloggers de viagem da ABVP :))))

  4. Marcia Picorallo

    62 monumentos é um número considerável, merece respeito este projeto. Com isso, assegura-se a memória e o estímulo ao turismo. Que seja para o bem de todos.

  5. Paula Augot

    Que interessante!Esse projeto de revitalização das fortalezas vai de certeza atrair mais turistas

    1. Rui Batista

      Sim, Paula, e a raia bem que precisa. Infelizmente, tem sido uma vasta zona esquecida pela generalidade dos governantes, centralistas e com pouca visão sobre o resto do país.

    2. Rui Batista

      Paula Augot, espero bem que sim, pois toda essa vasta região bem precisa disso… economicamente e para fixar as gerações mais jovens.

  6. Cristina Bento

    Ora aí está um ideia fantástica que interessa à minha família!

    1. Rui Batista

      Ainda bem… é começar já!! E ir acompanhando a evolução de todo o projeto 🙂

  7. Tatiane Dias

    Quem fica feliz com essa revitalização somos nós que poderemos conhecer mais e mais lugares com boas estruturas.

    1. Rui Batista

      É isso mesmo, Tatiane. Acredito que demore um par de anos até estar concretizado, mas há já vários monumentos aptos a serem apreciados e desfrutados por nós.

    1. Rui Batista

      Obrigado pelo destaque 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Lançamento livro

“BORN FREEE – O Mundo é uma Aventura”

Este é o primeiro livro de um autor português, Rui Barbosa Batista, que nos leva a viajar por mais de 50 países, dos cinco Continentes, não em formato de guia, mas antes em 348 inspiradoras páginas, 24 das quais com fotografias (81).