A oferta do ramo de flores comprado há escassos minutos sensibiliza a hospedeira de bordo. Do teleférico, claro. Recusa, antes de aceitar com um sorriso do tamanho do abismo sob nós.
Horas de mudar de paragens. E de país. Para o Irão ou Nagorno Karabakh, precisamos regressar a Goris. Sabemos a estrada “nacional” até lá, porém dava jeito ter o GPS a funcionar. “Apagou” por completo. Aqui, é capaz de ser complicadito avançar sem ele. Desnecessário acrescentar problemas ou obstáculos.
À segunda busca na cidade, acertamos com a oficina. E falamos logo com o homem certo. Anda às voltas do carro. Tira fusível, mete fusível. Abre capot. Faz mil e um malabarismos até que, meia hora depois, coloca o maldito a funcionar.
Pela prontidão, oferecemos-lhe um bolinho. E pedimos a “respetiva”. Não e não. Com gestos de ambos os braços e cabeça, diz que nada deseja. Estaremos quites, sem nada lhe darmos. Insistimos. É mais assertivo do que nós. Tentamos… deixa um sorriso quando nos vê rendidos. E sensibilizados. Em Portugal, já tivemos menos que aprender com esta gente…
Estamos a uns 30 quilómetros da fronteira. Avançamos, sem perder tempo. Tudo continua verde. Admito que os tons mudam. E o relevo. Torna-se mais denso. Até que surge a placa de aviso. Temos de preparar os documentos.
Estamos a entrar em zona de guerra. Finda no terreno há 20 anos, mas bem presente da mente de arménios e azeris. Continuam inimigos de morte. Por causa de Nagorno Karabakh..

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Explore mais

Lançamento livro

“BORN FREEE – O Mundo é uma Aventura”

Este é o primeiro livro de um autor português, Rui Barbosa Batista, que nos leva a viajar por mais de 50 países, dos cinco Continentes, não em formato de guia, mas antes em 348 inspiradoras páginas, 24 das quais com fotografias (81).